Saúde

Infectologista chama atenção para alto número de casos de gripe H1N1 e orienta prevenção

Em entrevista ao Jornal da Cidade Segunda Edição, Claudilson Bastos explicou os cuidados necessários para prevenir a doença

[Infectologista chama atenção para alto número de casos de gripe H1N1 e orienta prevenção]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Daniel Brito no dia 27 de Maio de 2019 ⋅ 18:21

Diante do crescimento do número de casos de gripe causados pelo vírus Influenza, do tipo H1N1, registrados em Salvador neste ano, o médico infectologista Claudilson Bastos falou hoje (27), em entrevista ao Jornal da Segunda Edição, da Rádio Metrópole, sobre os cuidados necessários para combater a doença.

Segundo o infectologista, o aumento de casos é influenciado pelas estações do ano. "Em períodos de outono e inverno, principalmente inverno, as gripes aumentam, de modo geral, em termos de frequência e intensidade. Como estamos próximos do inverno, é um período sazonal, onde podem aparecer outros tipos de vírus, e daí a necessidade de vacinação periódica", disse.

Bastos explicou ainda a razão pela qual pessoas mais velhas estão mais propensas a contraírem a doença em razão da deterioração do sistema imunológico e, portanto, são um dos grupos priorizados na imunização através da vacina. "Há um termo médico usado para definir isso, chamado imunossenescência. Ela deixa os anticorpos mais fracos e prejudica as defesas do organismo", esclareceu.

O infectologista alertou também que a mudança de pequenos hábitos comportamentais da população em geral pode contribuir para a prevenção da doença. "De um modo geral, quando as pessoas espirram, elas fazem na frente dos outros. O ideal é fazê-lo no cotovelo, onde dificilmente há contato. É recomendado também usar álcool em gel, lavar as mãos, higienizando-as", recomendou.

 

Notícias relacionadas