Saúde

13 mil pacientes hemofílicos estão cadastrados no Brasil pelo SUS

No Brasil, a pessoa com hemofilia pode ter direito a Tratamento Fora do Domicilio (TFD), Auxílio-Doença, Benefício da Prestação Continuada (BPC),  Isenção de ICMS, IPI e IPVA, e Aposentadoria por invalidez

[13 mil pacientes hemofílicos estão cadastrados no Brasil pelo SUS]
Foto :Divulgação Ministério da Saúde

Por Danielle Campos no dia 04 de Janeiro de 2020 ⋅ 12:30

É comemorado neste sábado, 4 de janeiro, o Dia do Hemofílico no Brasil. A data tem como objetivo conscientizar a população brasileira sobre essa doença rara, que consiste na falta de capacidade de coagular o sangue. No Brasil, o tratamento desta condição é realizado praticamente, de forma exclusiva, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O país possui a quarta maior população mundial de pacientes com a doença, de acordo com os dados da World Federation of Hemophilia (Federação Mundial de Hemofilia).

O SUS oferece uma linha de cuidados para tratamento e prevenção de complicações em diversas modalidades a todos os pacientes brasileiros acometidos pela doença, que ainda não possui cura. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil existem 12.983 pacientes com hemofilia A (decorre da falta do Fator VIII da coagulação e mais comum) e B (decorrente da falta do Fator IX da coagulação e mais rara) cadastrados. Em 2019, a pasta adquiriu 720 milhões de unidades de medicamentos para doenças hemorrágicas hereditárias a um custo de R$ 1,3 bilhão.

O ministério divulgou uma nota divulgando os novos tratamentos e iniciativas para melhora na qualidade de vida dos pacientes. "Com a estratégia das profilaxias adotadas pelo Brasil verificou-se uma queda dos episódios de sangramento espontâneos, por volta de 10% ao ano”, diz a nota do Ministério da Saúde. No Brasil, a pessoa com hemofilia pode ter direito a Tratamento Fora do Domicilio (TFD), Auxílio-Doença, Benefício da Prestação Continuada (BPC),  Isenção de ICMS, IPI e IPVA, e Aposentadoria por invalidez.

Notícias relacionadas