Saúde

Mário Kertész e Raimundo Varela fazem transmissão conjunta e defendem isolamento social

Comentário foi feito à TV Record na manhã de hoje (27)

[Mário Kertész e Raimundo Varela fazem transmissão conjunta e defendem isolamento social]
Foto : Reprodução

Por Metro1 no dia 27 de Março de 2020 ⋅ 07:48

Em comentário à TV Record, na manhã de hoje (27), Mário Kertész defendeu a manutenção de medidas de isolamento social para contenção ao coronavírus e o corte de vantagens de servidores, políticos e integrantes do Judiciário, para que os recursos sejam usados em combate à crise. A participação de MK foi de casa, por conferência, que também incluiu o apresentador Raimundo Varela.

"O negócio está complicado, porque o presidente da República (Jair Bolsonaro) disse ontem (26), que o brasileiro tem que ser estudado, porque cai no esgoto e não acontece nada. Eu não sabia disso. Eu sou favorável a todas as medidas de contenção. O nosso povo tem problemas econômicos e nossa economia já está em recessão, vai piorar. Mas aí é o governo federal que tem que entrar", disse MK.

Mário Kertész citou que ontem a Câmara aprovou auxílio emergencial para os trabalhadores informais e avaliou que a proposta do presidente da Casa, Rodrigo Maia, de reduzir salários de servidores, ainda não foi à frente por conta de integrantes do Judiciário.

"Ontem a Câmara aprovou R$ 600 para cada pessoa que vai ficar sem trabalho. Pilotos da Latam e Gol aceitaram redução de 75% do salário. Maia também propôs redução de salário de servidores, deputados e Judiciário e não aconteceu ainda. Isso não aconteceu ainda porque o Judiciário ta travando. Está na hora de todo mundo dar as mãos. Agora o presidente está fazendo publicidade para todo mundo trabalhar segunda-feira. Eu não vou trabalhar segunda e não acho que o povo deva ir", declarou.

Raimundo Varela concordou e acrescentou que "toda a 'gordura' nacional tem que ser queimada nessa hora".

"Onde tiver sobrando cada centavo desse país, transformar em investimento no nosso maior PIB do Brasil, nosso povo. Está na hora de abrir mão de mordomia e dessas vantagens todas que a classe política tem, o Legislativo e o Judiciário também. Deixa o salário quieto, mas se sobrar vantagem, já sobra dinheiro para ajudar o povo", sugeriu.

Na sequência, MK complementou, lembrando que os Estados Unidos vai investir R$ 2 trilhões de dólares para estimular a economia.

"Agora com essa pandemia,  Donald Trump que achou que abrir logo ontem mandou carta para americanos ficarem em casa. Os EUA vai investir R$ 2 trilhões de dólares para recuperar pessoas que vai ter que ficar paradas. O Brasil quer ir na contramão de 175 países. Concordo, tem que cortar gordura.  Tira essas vantagens e ainda sobra um belo salário", concluiu.

Notícias relacionadas