Saúde

Coronavírus: Infectologista defende combinação de isolamento vertical e horizontal para 'caminho mais acertado'

Roberto Badaró diz que parada inicial tem sido eficaz, mas é preciso implantar a fase de testar rapidamente quem tem sintomas

[Coronavírus: Infectologista defende combinação de isolamento vertical e horizontal para 'caminho mais acertado' ]
Foto : Matheus Simoni/ Metropress

Por Juliana Almirante no dia 27 de Março de 2020 ⋅ 08:50

O médico infectologista Roberto Badaró falou, em entrevista à Rádio Metrópole, sobre os dois tipos de isolamento social que são definidos como estratégia de combate ao avanço do coronavírus pelo mundo.

Ele diferencia que o chamado "horizontal" é para identificar quem tem sintomas, fazer testes rápidos e então praticar o isolamento. Já o "vertical" é aquele em que todos os indivíduos, inclusive assintomáticos, devem ser isolados.

Badaró diz que o assunto gera controvérsias entre infectologistas e autoridades. Ambos os tipos de isolamento têm mostrado eficácia na contenção de casos, conforme o infectologista. No entanto, a que foi mais sustentada, segundo a literatura médica, foi o "horizontal". 
 
"Eu acho que as duas coisas combinadas que vamos ter um caminho mais acertado. Enquanto não se tem o teste para verificar os positivos, essa primeira fase dá retardada na progressão, o que acontece no Brasil e na Bahia. Saímos, nos últimos 5 dias, de 70, 60 casos, para 108. Acho que essa primeira parada foi eficaz, mas temos que pensar como vamos implantar rapidamente o isolamento horizontal para encontrar pessoas com sintomas e essas sim ficarem 14 dias dentro de casa. (...) E faz essa recomendação, sem teste, para indvíduos acima de 60 anos, até essa curva passar", disse.

Notícias relacionadas