Saúde

Pneumologista critica ministro da Saúde: ‘É preciso mais do que falar, é necessário passar legitimidade’

Para Francisco Hora, Teich tem que mudar tom e passar a transmitir confiança e esperança em pronunciamentos

[Pneumologista critica ministro da Saúde: ‘É preciso mais do que falar, é necessário passar legitimidade’]
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Metro1 no dia 14 de Maio de 2020 ⋅ 12:42

O médico pneumologista Francisco Hora disse hoje (14), em entrevista à Rádio Metrópole, que, ao ocupar o posto de ministro da Saúde diante da pandemia de coronavírus, Nelson Teich precisa passar confiança à população e assumir a responsabilidade de transmitir esperança e propor caminhos para superar o momento atual.

“Quando vejo o ministro da Saúde com o rosto triste, sem propor alternativas, penso que, em uma crise como essa, é preciso muito mais do que falar. É preciso expressar, passar confiança e legitimidade. A sensação é que ele está ali porque cumprindo somente a obrigação. O ex-primeiro-ministro da Inglaterra, Winston Churchill, por exemplo, na Segunda Guerra Mundial, assumiu um papel de incentivar a esperança de que, em meio a todo o caos, seu povo iria sobreviver e sairia vitorioso, o que motivou toda a população. Hoje, no Brasil, quem liga a televisão para acompanhar os balanços de coronavírus, sai chocado, porque o sentimento é de um velório em rede nacional”, afirmou Hora. 

O pneumologista comentou ainda sobre organização na quarentena e a importância de manter o sono regulado. De acordo com ele, o conselho mais importante é viver cada dia e não se render ao “limbo” provocado pelo tempo livre do isolamento social. 

“Nossa vida mudou drasticamente, mas temos que ter as rédeas da situação. Como fazemos isso? Mantendo nossas cabeças ocupadas. Eu, por exemplo, tenho arranjado formas de trabalhar de casa, tenho reinventado a forma de atender pacientes. É importante ainda manter uma rotina: ter hora para acordar, para tomar café e almoçar, realizar outras atividades. Porque sem isso a desorganização é certa e afeta até mesmo o sono. Por exemplo, você acaba dormindo depois do almoço, e aí de noite não sente sono, dorme muito mais tarde, acorda muito mais tarde e por aí vai. A hora de dormir é fundamental para estabelecer uma rotina”, explicou ele.

Notícias relacionadas