Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sábado, 13 de julho de 2024

Home

/

Notícias

/

Bahia

/

Diante de ameaça da lama, Ibama sobrevoa mar no sul da Bahia nesta sexta

Bahia

Diante de ameaça da lama, Ibama sobrevoa mar no sul da Bahia nesta sexta

Em contato com o Metro1, na manhã desta sexta-feira (8), o superintendente do Ibama no estado, Célio Pinho, detalhou as ações realizadas entre o órgão e o Instituto Chico Mendes diante da ameaça. [Leia mais...]

Diante de ameaça da lama, Ibama sobrevoa mar no sul da Bahia nesta sexta

Foto: Reprodução/Secom ES

Por: Gabriel Nascimento no dia 08 de janeiro de 2016 às 11:48

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) alertou, na última quinta-feira (7), para a chegada da lama da barragem da Samarco, em Mariana (MG), na região sul da Bahia, inclusive à região do arquipélago de Abrolhos. Em contato com o Metro1, na manhã desta sexta-feira (8), o superintendente do Ibama no estado, Célio Pinho, detalhou as ações realizadas entre o órgão e o Instituto Chico Mendes diante da ameaça.

"Foi feito um trabalho de análise de imagens de satélite que demonstra um direcionamento dessa mancha para o sul da Bahia e aí o Instituto Chico Mendes fez um sobrevoo de helicóptero e nós que estamos apoiando eles com o grupo de emergência do Ibama, estaremos fazendo um sobrevoo hoje a tarde lá na região", disse. De acordo com o superintendente, a Samarco já foi notificada e deve também realizar uma análise da qualidade da água, por meio de um laboratório independente. "E pelo princípio do poluidor-pagador (...) há uma previsão de 10 dias para a apresentação desses laudos e o Ibama vai analisar e junto ao Instituto Chico Mendes tomar novas medidas", afirmou.

Célio disse ainda que a chegada da lama da barragem ao arquipélago, que é um dos principais santuários brasileiros de flora e fauna marinhos, pode gerar inúmeros danos. "Alí é uma área muito sensível de um ecossistema marinho", completou.

Apesar disso, o secretário estadual do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, que sobrevoou a região, na manhã desta sexta-feira (8), afirmou que não foi identificado nenhum tipo de resíduo visível característico do acidente ambiental em Mariana (MG). A água será coletada em alguns pontos para ser analisada.