Bahia

Presidente da Fecomércio critica demora para divulgar planejamento de reabertura

Carlos Andrade declarou que governador e prefeito atuaram de forma correta, mas pediu mais diálogo com setores do comércio

[Presidente da Fecomércio critica demora para divulgar planejamento de reabertura]
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 08 de Julho de 2020 ⋅ 09:27

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio-BA), Carlos de Souza Andrade, afirmou que houve uma demora na divulgação do protocolo de reabertura anunciado pelo Governo do Estado em conjunto com a Prefeitura de Salvador. Em entrevista a Mário Kertész hoje (8), na Rádio Metrópole, o dirigente elogiou a colaboração e reclamou da atuação do presidente Jair Bolsonaro.

"Infelizmente, essa guerra deveria ser comandada pelo comandante maior, nosso presidente. Mas houve, por questões políticas em todo o  Brasil, ele não se posicionou e não planejou. No Brasil houve pouco planejamento. Cada estado e município foi fazendo o que queria. O governo central sem norte. Quem não sabe onde quer chegar não chega a lugar nenhum", declarou.

Ainda de acordo com Andrade, é necessário ampliar as discussões sobre a melhor forma de fazer o protocolo funcionar na capital baiana. Somente em maio, de acordo com a Fecomércio, 600 mil empresas fecharam as portas no país. "Achei que demorou um pouco o planejamento. Teve o problema dos respiradores que não tinham para conseguir. Em momento de crise, depois que passa, é muito fácil analisar. Quem está vivendo a crise para tomar as decisões não é fácil. É difícil. Depois de se ver o jogo, comentar é muito fácil. O prefeito e o governador estão na linha certa, mas nós precisamos dialogar mais. Nossa preocupação agora é no pós-coronavírus", disse o presidente.

"Ainda tem coisas a se discutir. Há falhas. O comércio é muito pulverizado. Uma coisa é ter um comércio num bairro, num lugar distante, onde tem alguém que abre e fecha loja, atendente, faz-tudo, feito pelo dono da loja. Loja de shopping center é outra coisa. O protocolo com critério de abertura teve envolvimento do prefeito e do governador, observaram os números e criaram o protocolo. Temos que atender, preservamos a coisa mais nobre que temos, que é a vida", acrescentou.

Notícias relacionadas