Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Brasil

Governo Bolsonaro ignorou série de alertas sobre falta de oxigênio em Manaus

Através de empresa fornecedora, Amazonas enviou avisos ao Ministério da Saúde, que não agiu

[Governo Bolsonaro ignorou série de alertas sobre falta de oxigênio em Manaus]
Foto : Márcio James/Amazônia Real

Por Matheus Simoni no dia 16 de Janeiro de 2021 ⋅ 16:00

O governo de Jair Bolsonaro, através do ministro da Saúde, general da ativa Eduardo Pazuello, foi avisado sobre a escassez crítica de oxigênio em Manaus por integrantes do governo do Amazonas e pela empresa que fornece o produto. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o aviso veio até mesmo por uma cunhada sua que tinha um familiar “sem oxigênio para passar o dia”. Pazuello também foi informado sobre problemas logísticos nas remessas.

Ainda segundo o periódico, os avisos foram dados pelo menos quatro dias antes do absoluto colapso dos hospitais da cidade que atendem pacientes com Covid-19, inclusive um hospital universitário federal, o Getúlio Vargas.

Ainda assim, e mesmo estando na capital do Amazonas nos três dias que antecederam o colapso, o ministro não tomou as providências necessárias para garantir o fornecimento de oxigênio.

O ministro esteve em Manaus na última segunda-feira (11) para um evento político, além de reunir a cúpula do Ministério da Saúde e as principais autoridades do Amazonas para o lançamento de um plano de enfrentamento à Covid-19 no estado. Pazuello admitiu em seu discurso que tinha conhecimento do que ocorria nos hospitais naquele momento: "Estamos vivendo crise de oxigênio? Sim".

Ele prosseguiu: "Quando eu cheguei na minha casa ontem, estava a minha cunhada, com o irmão sem oxigênio nem para passar o dia. 'Acho que chega amanhã.' 'O que você vai fazer?' 'Nada. Você e todo mundo vão esperar chegar o oxigênio e ser distribuído.' Não tem o que fazer. Então, vamos com calma."

Nesta semana, em conversa com apoiadores, o presidente Jair Bolsonaro disse que o governo federal fez a sua parte para ajudar o estado. "Problemas. A gente está sempre fazendo o que tem que fazer. Problema em Manaus. Terrível, o problema em Manaus. Agora, agora, nós fizemos a nossa parte. Recursos, meios. Hoje, as Forças Armadas 'deslocou' para lá um hospital de campanha. O ministro da Saúde esteve lá segunda-feira e providenciou oxigênio", afirmou o presidente na saída da residência oficial do Palácio da Alvorada.
 

Notícias relacionadas