Segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Brasil

Fuga prolongada de “maníaco” gera crítica e defesa aos policiais por parte de governadores

Governador do DF criticou força-tarefa e enquanto o chefe do executivo de Goiás defendeu os policiais que fazem o cerco para capturar Lázaro Barbosa

Fuga prolongada de “maníaco” gera crítica e defesa aos policiais por parte de governadores

Foto: Reprodução Twitter

Por: Metro1 no dia 16 de junho de 2021 às 19:22

A demora das forças policiais em conseguir capturar o “maníaco” Lázaro Barbosa Sousa, 32 anos, está gerando crítica e defesa aos policiais por parte dos governadores do Distrito Federal e Goiás. Lázaro está fugindo há oito dias de um cerco com mais de 200 policiais em uma área rural em Cocalzinho de Goiás, depois de matar quatro pessoas da mesma família em Ceilândia (DF), na última quarta-feira (09) e uma quinta pessoa em Goiás. 

O governador Ronaldo Caiado (DEM) se manifestou em uma rede social sobre a fala do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, que questionou a força-tarefa para busca de Lázaro Barbosa em Cocalzinho de Goiás. Em pronunciamento, Ibaneis falou que o suspeito faz "quase como de bobos" os profissionais do DF e de GO envolvidos na investigação.

“Que Ibaneis não se atreva a desrespeitar policiais goianos, os melhores do país, novamente. Não admito. Se ele trata policiais do DF com grosseria, minha solidariedade a eles. Em Goiás a polícia é nosso orgulho. Trabalha sério para prender a facínora sem produzir mais vítimas”, diz a publicação do governador Caiado. 

O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, também se pronunciou sobre a declaração do governador do DF.

"Não vou comentar coisa de gente que não está sofrendo aqui com a gente. Uma pessoa que está não sei onde, não merece respeito. Eu valorizo os policiais que estão aqui arriscando suas vidas".

Lázaro Barbosa tem uma extensa ficha criminal. De acordo com informações divulgadas pelas secretarias de Segurança Pública de Goiás, Bahia e DF, o homem fugiu três vezes da prisão e é acusado de diversos crimes.

Em 2008, aos 19 anos, Lázaro matou dois homens em Barra do Mendes, no noroeste da Bahia, sua cidade Natal. As vítimas foram baleadas ao prestar ajuda a uma mulher que pediu socorro após Lázaro tentar estuprá-la. Nessa ocasião, ele fugiu por 15 dias, quando ficou escondido na serra e em grutas da região. Com fome e temendo ser morto, ele se entregou à polícia. 

Em 2013, quando respondia a um processo por roubo, porte de arma de fogo e estupro na cidade de Corumbá, no Mato Grosso do Sul, um laudo criminológico apontou que o maníaco tem características de personalidade como "agressividade, ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade, instabilidade emocional, possibilidade de ruptura do equilíbrio, preocupações sexuais e sentimentos de angústia".

Fuga prolongada de “maníaco” gera crítica e defesa aos policiais por parte de governadores - Metro 1