Sábado, 02 de julho de 2022

Brasil

Enfrentando grave crise financeira, Santas Casas planejam manifestação nacional para evitar falência

Dívida do setor ultrapassa R$ 20 bilhões e pode sofrer impactos ainda maiores com projetos em tramitação na Câmara

Enfrentando grave crise financeira, Santas Casas planejam manifestação nacional para evitar falência

Foto: Divulgação Santa Casa da Bahia

Por: Metro1 no dia 16 de maio de 2022 às 09:07

Alegando crise financeira, as Santas Casas e hospitais filantrópicos do Brasil estão planejando a realização de uma marcha e manifestação em Brasília nesta quinta-feira (19). Com o slogan "Não mais suportaremos manter o acesso da população ao SUS no Brasil", os grupos pretendem conseguir um aporte financeiro para conseguirem se manter.

De acordo com um documento da Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), o endividamento e o subfinanciamento do Sistema Único de Saúde (SUS), nos últimos seis anos, culminou no fechamento de 315 hospitais filantrópicos. 

"Mesmo acumulando décadas de subfinanciamento, assumindo dívidas para bancar uma conta que não é sua, mas do sistema, tudo para não deixar de assistir aos brasileiros, e ainda, abatidos pelo tsunami que tem sido o enfrentamento à provavelmente maior crise de saúde pública da história, os hospitais acabam de vivenciar reveses que podem significar a pá de cal para este segmento filantrópico de saúde", diz a nota.

Com a pandemia da Covid-19, a dívida do setor ultrapassa R$ 20 bilhões. Para evitar a falência dos hospitais, que atendem a mais de 50% da média complexidade do SUS e 70% da alta complexidade, as instituições pedem aos deputados e senadores a liberação de uma fonte de recursos. O dinheiro serviria para suportar os impactos, que pode crescer com a aprovação de projetos em tramitação na Câmara, como o projeto de lei 2564/20, que institui o piso salarial da enfermagem, com implicação estimada em R$ 6,3 bilhões.

Enfrentando grave crise financeira, Santas Casas planejam manifestação nacional para evitar falência - Metro 1