Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sexta-feira, 12 de abril de 2024

Brasil

Homem é liberado após confissão de participação no ataque ao ônibus do Fortaleza

Advogado nega participação em torcida organizada

Homem é liberado após confissão de participação no ataque ao ônibus do Fortaleza

Foto: Divulgação/Mateus Lotif/ Fortaleza EC

Por: Metro1 no dia 27 de fevereiro de 2024 às 17:00

Atualizado: no dia 27 de fevereiro de 2024 às 17:45

Um homem confessou ter participado do atentado contra o ônibus do Fortaleza, na última quarta-feira (21). O ônibus foi atacado após deixar a Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata (PE), onde enfrentou o Sport pela Copa do Nordeste.

Nesta segunda-feira (26), o homem relatou que teria entrado em um ônibus fretado por outros torcedores pela ausência de transporte coletivo após o empate entre os times. No caminho, o veículo teria parado para prestar apoio a um outro ônibus, de torcida organizada, que estaria com defeito. Enquanto eram socorridos, a torcida organizada recebeu a informação de que um veículo de grupo rival estaria se aproximando deles.

Após isso, o grupo teria se munido de pedras e, quando um ônibus se aproximou, foi atingido pelas janelas, que foram quebradas. Porém, o ônibus não se tratava de qualquer torcida organizada, mas sim da delegação do Fortaleza. 

O advogado do homem, disse em entrevista à TV Jornal, que nega aliança do seu cliente com a Torcida Jovem do Sport, ainda que tenha confirmado que ele estaria vestido com a camisa do grupo e de ter preferência por assistir jogos no setor onde o coletivo se localiza. Após o depoimento, ele foi liberado pela Polícia. A informação foi revelada pelo GE e confirmada pela Rádio Itatiaia. 

“A Polícia Civil de Pernambuco informa que segue com as diligências de investigação do caso e está realizando oitivas de testemunhas e suspeitos. Ontem (26), um deles confessou participação na ação do dia 21/02/24 e continuam as investigações para a identificação dos demais envolvidos”, disse a corporação em nota. 

Após o ataque, sete jogadores ficaram feridos. O atentado ocorreu a 7 quilômetros da Arena de Pernambuco, com pedras e uma bomba artesanal.