Brasil

Polícia Federal identifica 84 empresas de fachada vinculadas à Lava Jato

Essas empresas apenas abastecem com notas fiscais o pagamento de propinas, que irrigaram partidos políticos, agentes públicos e intermediários de repasses no esquema de desvios de recursos. Dessas, 55 movimentaram R$ 2,6 bilhões entre 2009 e o início deste mês. As demais empresas seguem na condição de investigadas, sem identificação de valores movimentados. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução / Correio de Notícias Online

Por Camila Tíssia no dia 30 de Agosto de 2015 ⋅ 18:18

A Polícia Federal identificou 84 empresas de fachada, vinculadas à Lava Jato, operação responsável em investigar fraudes na Petrobras. Essas empresas apenas abastecem com notas fiscais o pagamento de propinas, que irrigaram partidos políticos, agentes públicos e intermediários de repasses no esquema de desvios de recursos. De acordo com informações da reportagem de O Globo, dessas, 55 movimentaram R$ 2,6 bilhões entre 2009 e o início deste mês. As demais empresas seguem na condição de investigadas, sem identificação de valores movimentados. 

Esse valor seria suficiente para construir 65 mil casas do programa Minha Casa Minha Vida, a um custo médio de R$ 40 mil. Apenas as duas empreiteiras cujas cúpulas foram condenadas em primeira instância, OAS e Camargo Corrêa, pagaram R$ 91,5 milhões a quatro empresas de fachada — e elas não param de se multiplicar nas investigações da Polícia Federal.

O esquema que, segundo o Ministério Público Federal, irrigou três dos principais partidos políticos do país — PT, PMDB e PP — passa por homens apresentados como consultores de sucesso, falsas empresas de engenharia e escritórios de contabilidade habituados a recrutar pessoas em dificuldades financeiras para assumir a posição de “laranjas”. Em troca de ajuda, elas aceitam figurar como “sócias” em firmas de fachada, usadas para movimentar milhões de reais.

Ao lado de empresários como Milton Pascowitch, dono da Jamp, que movimentou pelo menos R$ 45 milhões e fez depósitos para o ex-ministro José Dirceu, estão pessoas que não têm noção dos milhões negociados. As empresas de fachada servem para dar ares de legalidade ao desvio de recursos públicos.

Notícias relacionadas