Brasil

Enem: mais de mil provas podem ter sido fraudadas no ano passado

A pesquisa considera apenas candidatos que ficaram entre as 10% melhores notas, entre as edições 2011 e 2016, o que representa um montante total de 3 milhões de provas analisadas. Com essa pontuação, o candidato consegue ingressar em cursos concorridos como medicina, direito ou administração. [Leia mais...]

[Enem: mais de mil provas podem ter sido fraudadas no ano passado]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Alexandre Galvão no dia 23 de Abril de 2018 ⋅ 06:21

Porta de entrada para as maiores universidades do país, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) pode ter sido fraudado em mais de mil casos no ano passado, de acordo com a Folha.

Segundo a publicação, pelo menos 1.125 provas estão sob suspeita. A matéria aponta que as avaliações estão dentro de grupos com padrão de respostas tão semelhantes entre si que, estatisticamente, é improvável que não tenha havido algum tipo de cola.

Investigações conjuntas do Inep (órgão federal responsável pelo Enem) e da Polícia Federal confirmaram até hoje apenas 14 casos de fraude. A gestão Michel Temer diz que usa estatística e outros meios para combater as irregularidades.

O estudo da Folha identificou tanto duplas de provas suspeitas, o que indica algum tipo de cola rudimentar, quanto grupos com até 67 candidatos suspeitos, que apontam para um esquema mais sofisticado de transmissão de respostas.

A pesquisa considera apenas candidatos que ficaram entre as 10% melhores notas, entre as edições 2011 e 2016, o que representa um montante total de 3 milhões de provas analisadas. Com a pontuação, o candidato consegue ingressar em cursos concorridos como Medicina, Direito ou Administração.

Notícias relacionadas