Brasil

Brasil não ficará de 'quatro diante de ditaduras', diz chanceler de Bolsonaro

Novo chanceler não mencionou a qual governo se referia

[Brasil não ficará de 'quatro diante de ditaduras', diz chanceler de Bolsonaro]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Marina Hortélio no dia 19 de Novembro de 2018 ⋅ 13:20

Indicado para comandar o Ministério das Relações Exteriores no governo Bolsonaro, Ernesto Araújo afirmou na noite de ontem (18) em uma rede social que o Brasil "não ficará de quatro diante das ditaduras". O novo chanceler não mencionou a qual governo se referia.

Araújo disse ainda que o Brasil vai negociar "bons acordos comerciais, atrair investimentos e tecnologia" com a "nova política externa". Ele afirmou ainda que os brasileiros não devem se preocupar pois o país vai ter "os pés no chão, mas a cabeça erguida".

Em outra publicação, o diplomata respondeu as críticas feitas por Celso Amorim, que foi chanceler nos dois governos do ex-presidente Lula, ao jornal O Globo, e afirmou ainda que vai fazer um "exame minucioso" da política externa do PT.

Ernesto Araújo foi uma indicação pessoal do escritor Olavo de Carvalho, pensador conservador que é um dos gurus do bolsonarismo.

Notícias relacionadas