Brasil

Médicos cubanos têm desempenho similar ao de brasileiros em prova exigida por Bolsonaro

Regras do programa Mais Médicos permitem que profissionais estrangeiros atuem no país sem passar pelo Revalida

[Médicos cubanos têm desempenho similar ao de brasileiros em prova exigida por Bolsonaro]
Foto : Reprodução

Por Juliana Rodrigues no dia 20 de Novembro de 2018 ⋅ 07:20

Os médicos cubanos que fizeram o Revalida, exame que permite a profissionais formados no exterior atuar no Brasil, têm desempenho similar ao de brasileiros graduados fora do país, de acordo com balanço do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os dados se baseiam na última edição da prova, aplicada em 2016, e foram divulgados pela Folha de S. Paulo.

Entre os cubanos que prestaram o exame, 24,3% foram aprovados, enquanto entre os brasileiros o índice foi de 28,5%. A média de todas as nacionalidades é de 24,8%.

O exame tem duas etapas: a primeira é uma prova escrita, com questões de múltipla escolha e discursivas, e a segunda é prática, com simulações de casos frequentes no SUS. Na primeira fase, 37,8% dos cubanos e 37,5% dos brasileiros foram aprovados.

Já na segunda fase, os cubanos tiveram índice de aprovação de 64,4%, pouco abaixo da média geral, que é de 66%. Os brasileiros formados no exterior tiveram 75,9% de aprovação.

Uma das críticas do presidente eleito Jair Bolsonaro à atuação dos cubanos no programa Mais Médicos é relacionada à não exigência do Revalida para a atuação dos profissionais. Criado em 2013, o programa permite que médicos estrangeiros atuem no país sem passar pela prova.

Notícias relacionadas