Sábado, 25 de junho de 2022

Cidade

Leo Prates responsabiliza Anvisa por suspensão de vacinação em adolescentes

Interrupção obedece orientação do Ministério da Saúde, após morte de adolescente que tomou Pfizer

Leo Prates responsabiliza Anvisa por suspensão de vacinação em adolescentes

Foto: Max Haack/Secom/PMS

Por: Adele Robichez no dia 16 de setembro de 2021 às 17:04

O secretário municipal de Saúde de Salvador, Leo Prates, voltou a questionar, nesta quinta-feira (16), o veto da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ao uso da Coronavac em crianças e adolescentes. De acordo com ele, a liberação do imunizante teria evitado a suspensão da vacinação para menores de idade na capital baiana.

A imunização de adolescentes sem comorbidades foi suspensa na capital baiana nesta quinta. A interrupção obedece uma orientação do Ministério da Saúde, que justificou cautela após a morte de um adolescente que tomou a vacina da Pfizer, autorizada pela Anvisa para a faixa etária.

“Apenas uma pergunta a (sic) ANVISA: Como o Chile tem informações para autorizar o uso da Coronavac em crianças e o Brasil não? E, segundo a imprensa internacional, com sucesso! Não precisaríamos parar a vacinação se tivéssemos com a Coronavac aprovada!”, escreveu Prates nas suas redes sociais.

A publicação foi feita anexada a uma reportagem da CNN, com o título “Chile superou a variante Delta. Agora está correndo para vacinar crianças”. O país foi um dos primeiros a autorizar a vacinação com Coronavac para crianças de 6 a 11 anos, iniciada nesta segunda-feira (13). 

Leo Prates responsabiliza Anvisa por suspensão de vacinação em adolescentes - Metro 1