Cidade

Estudante relata ter sido alvo de racismo em mercado de Lauro de Freitas; veja vídeo

Luã Nascimento estava acompanhado de uma amiga quando foi acusado de roubo em loja do Atacadão RedeMix

[Estudante relata ter sido alvo de racismo em mercado de Lauro de Freitas; veja vídeo]
Foto : Divulgação

Por Juliana Rodrigues no dia 13 de Fevereiro de 2020 ⋅ 11:55

O estudante Luã Nascimento relatou ter sido alvo de racismo em uma loja do Atacadão RedeMix em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador, ontem (12). Por meio das redes sociais, ele descreveu o caso e publicou um vídeo gravado durante a abordagem.

No relato, Luã diz que acompanhou uma amiga ao mercado e foi abordado pelo segurança na saída, pouco depois de entrar em um veículo de transporte por aplicativo. "Compramos o que tinha pra comprar, pagamos e eu pedi o Uber. O motorista chegou e quando menos espero o segurança bate no ombro dela que estava atrás de mim, entrando no carro e disse que 'eu tinha esquecido de pagar o pão'. O engraçado é que quem estava fazendo a compra era ela, no cartão dela, mas na hora de acusar de roubo, a cor fez ele discernir bem quem era o ladrão. No primeiro momento, pensei até que a menina do caixa tinha esquecido de registrar", escreveu.

No momento da abordagem, Luã chegou a mencionar que tinha comido um dos pães e ouviu uma resposta ríspida do vigilante. "Ele foi extremamente rude e disse de maneira sarcástica que o que tinha sido consumido deixaria pra lá, mas o restante deveria ser pago. Minha amiga afirmando que tinha pago e colocado a nota na sacola, eu peguei a nota e apresentei ao mesmo, ele disse que não constava o produto. Detalhe: o produto estava PAGO E NA NOTA FISCAL. (...)  Se foi minha amiga que fez a compra, qual o motivo dele ter me abordado e me tratado de maneira tão rude?", relatou.

Em seguida, o estudante pediu que chamassem o gerente da loja. "Quando falei mais alto e disse que estava sendo acusado de roubo, começaram a me pedir pra ter calma e que eu estava chamando a atenção dos outros clientes (...) O gerente veio, não quis fornecer o nome do segurança, aquele velho pedido de desculpas, e ainda queria que eu desse a mão pra selar a paz. É mole?", ironizou.

Ao Metro1, Luã disse que ainda não sabe se entrará na Justiça contra o estabelecimento, mas pretende prestar queixa na delegacia. A reportagem tentou contato com o mercado através dos números de telefone disponibilizados no site da rede, mas não obteve resposta.

Veja o vídeo:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

O RACISMO DESSA VEZ ME ATINGIU! O racismo não descansa e ele vem quando a gente menos espera. Eu encontrei uma amiga na rua e fomos no mercado Rede Mix - Lauro de Freitas, compramos o que tinha pra comprar, pagamos e eu pedi o uber. O motorista chegou e quando menos espero o segurança bate no ombro dela que estava atrás de mim, entrando no carro e disse que "eu tinha esquecido de pagar o pão". O engraçado é que quem estava fazendo a compra era ela, no cartão dela, mas na hora de acusar de roubo, a cor fez ele discernir bem quem era o ladrão. No primeiro momento, pensei até que a menina do caixa tinha esquecido de registrar, e ainda falei assim, e agora que eu tinha acabado de comer metade de um que fiquei curioso com o gosto do pão de tomate seco com manjericão. Ele foi extremamente rude e disse de maneira sarcástica que o que tinha sido consumido deixaria pra lá, mas o restante deveria ser pago. Minha amiga afirmando que tinha pago e colocado a nota na sacola, eu peguei a nota e apresentei ao mesmo, ele disse que não constava o produto. Detalhe: o produto estava PAGO E NA NOTA FISCAL. Nesse momento me dei conta que estava sendo vítima de preconceito. Ela foi ao caixa e antes mesmo dela falar algo, a caixa já foi anunciando que ele tinha ido perguntar a ela e que a mesma já tinha informado a ele que o pão e os demais produtos tinham sido pagos. CONTINUA NOS COMENTÁRIOS

Uma publicação compartilhada por Luã (@bioluan) em

Notícias relacionadas