Cidade

Salvador recebe dez ambulâncias para reforço ao Samu na pandemia

Em evento na manhã de hoje, o prefeito ACM Neto ainda anunciou a intenção de realizar um evento simbólico para marcar a Independência da Bahia

[Salvador recebe dez ambulâncias para reforço ao Samu na pandemia]
Foto : Max Haack / Secom PMS

Por Metro1 no dia 18 de Junho de 2020 ⋅ 13:20

O prefeito de Salvador, ACM Neto, anunciou na manhã de hoje (18) o reforço de dez ambulâncias com equipes completas para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da capital baiana, com a contratação de 81 profissionais. Agora, o município conta com um total de 61 equipes do Samu.

“Inicialmente tínhamos 41 equipes, ampliamos para 51, agora ampliamos mais uma vez para 61. Aumentamos em 50% a estrutura do Samu em três meses, para ampliar o alcance do serviço nesse momento de pandemia, para dar respostas rápidas, assegurar que a pessoas não fiquem aguardando por um suporte médico”, disse o prefeito.

Ainda segundo o prefeito, será aberto um processo para contratar uma empresa particular a fim de incorporar mais 15 equipes ao Samu de Salvador. Um pregão eletrônico já foi aberto em busca de interessados, mas acabou sem inscritos.

Neto ainda revelou que a prefeitura pretende realizar um evento simbólico para não deixar a Independência da Bahia, comemorada em Dois de Julho, passar em branco. O feriado foi antecipado para o último mês de maio, como estratégia de combate ao coronavírus. O contexto da pandemia impede a realização da celebração tradicional.

“Discutimos o assunto ontem. A Fundação Gregório de Matos, que é ligada à prefeitura, organiza o Dois de Julho. Ainda não há decisão se vamos fazer uma coisa simbólica, para não deixar passar em branco. Não vamos fazer nada que possa levar pessoas para a rua. Se tiver risco de aglomeração, não vamos fazer. O feriado já ocorreu. O dia 2 de julho será um dia normal de trabalho. Estamos pensando se poderemos fazer algo simbólico, sem aglomeração, sem desfile, sem solenidades tradicionalmente realizadas. O Dois de julho, da forma que estamos acostumados a fazer, não vai acontecer em 2020”, afirmou.

Notícias relacionadas