Economia

Bahia tem maiores quedas no número de estabelecimentos comerciais e empregados no setor

Segundo o IBGE, mesmo com o recuo, estado se manteve, em 2018, como o 6º estado do país em número de estabelecimentos comerciais

[Bahia tem maiores quedas no número de estabelecimentos comerciais e empregados no setor]
Foto : Jefferson Peixoto / Secom

Por Juliana Rodrigues no dia 26 de Junho de 2020 ⋅ 14:40

Em 2018, a Bahia registrou queda significativa no número de estabelecimentos comerciais e no total de trabalhadores empregados neste setor, segundo dados divulgados hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No ano de 2018, havia 88.851 unidades locais comerciais ativas e com receita de revenda na Bahia. Esse número representou uma redução de 7,9% em relação a 2017, quando o estado tinha 96.479 estabelecimentos comerciais. A queda porcentual foi a maior do país e o recuo absoluto (-7.628 estabelecimentos) foi o segundo pior resultado entre as unidades da federação, acima apenas do apresentado em São Paulo, que teve redução de 14.119 estabelecimentos comerciais em um ano. O resultado nacional foi de queda de 1,2% no número de unidades locais de empresas comerciais, entre 2017 e 2018.

Mesmo com o recuo, a Bahia se manteve, em 2018, como o 6º estado do país em número de estabelecimentos comerciais e o líder do Norte-Nordeste nesse indicador.

A queda no número de unidades locais comerciais na Bahia levou também à redução no número de trabalhadores. Em 2018, 461.859 pessoas estavam ocupadas nos estabelecimentos comerciais ativos no estado, frente a 490.945 em 2017.

Foram menos 29.086 pessoas trabalhando nas empresas do setor em um ano (-5,9%). A Bahia teve a maior redução em termos absolutos no período e a segunda maior redução percentual, acima apenas de Rondônia (-8,3%).

Notícias relacionadas