Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Economia

Auxílio reduz extrema pobreza ao menor nível em 40 anos, diz FGV

Segundo o economista Daniel Duque, pesquisador do Ibre/FGV e autor dos cálculos, o auxílio tem forte impacto na extrema pobreza por seu alcance e valor elevado

[Auxílio reduz extrema pobreza ao menor nível em 40 anos, diz FGV]
Foto : Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por Kamille Martinho no dia 28 de Julho de 2020 ⋅ 14:00

A disponibilização do auxílio emergencial para quase metade da população possibilitou que proporção de pessoas vivendo abaixo da linha de extrema pobreza atingisse a sua menor marca em, pelo menos, 40 anos, segundo um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

O estudo mostra que 3,3% da população vivia em junho com renda domiciliar per capita de US$ 1,90 por dia - o equivalente a R$ 154 mensais por membro da famílias. São 6,9 milhões de pessoas.

Um mês antes, em maio, a proporção da população vivendo abaixo da linha de extrema pobreza era de 4,2%, o equivalente a 8,8 milhões de pessoas, conforme o levantamento, que se baseou na Pnad Covid, pesquisa do IBGE que acompanha os impactos da pandemia no mercado de trabalho brasileiro.

O economista Daniel Duque, pesquisador do Ibre/FGV e autor dos cálculos, acrescentou que o auxílio tem forte impacto na extrema pobreza por seu alcance e valor elevado, de R$ 600 mensais. Em uma família de três pessoas, por exemplo, o valor per capita do benefício seria de R$ 200, acima da linha de pobreza extrema.

Notícias relacionadas

[Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 17 milhões]
Economia

Mega-Sena sorteia prêmio de R$ 17 milhões

Por Adele Robichez no dia 20 de Janeiro de 2021 ⋅ 07:37 em Economia

As apostas podem ser feitas até as 19h de hoje (20) em qualquer casa lotérica ou pelo site da Caixa Econômica Federal