Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Editorial

'Ventos da política às vezes são caprichosos', avalia MK após eleições

Âncora da Metrópole comentou as derrotas do PT e de Bolsonaro nas urnas

['Ventos da política às vezes são caprichosos', avalia MK após eleições]
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Metro1 no dia 30 de Novembro de 2020 ⋅ 09:45


Mário Kertész comentou o resultado das eleições deste ano, um dia após o pleito do segundo turno em todo o país. Em comentário na manhã de hoje (30) na Metrópole, ele falou sobre as manifestações de lideranças do PT, como o governador Rui Costa. De acordo com MK, o petista tem bons números e é bem avaliado, mas registrou uma nova derrota no âmbito estadual. "O governador Rui Costa se manifestou e disse que a luta continua para melhores condições de vida. É verdade, ele vai continuar, ele é o governador. Chegou a inclusive mostrar crescimento do PT em número de votos em cidades como Conquista e Feira, mas não existe segundo lugar. Perdeu", declarou Mário.

"Acredito que sua luta continuará. É um governador super bem avaliado. Mas os ventos da política e da eleição às vezes são caprichosos. Quem diria que Colbert Martins iria ganhar em todas as zonas eleitorais de Feira de Santana? Ele já havia tentado ser prefeito três vezes. O pai dele foi um dos melhores homens públicos da Bahia, meu queridíssimo amigo Colbert Martins, ele é Colbert Martins Filho", acrescentou, citando ainda a eleição em Vitória da Conquista. 

"Em Vitória da Conquista, o PT dominou muitos anos. O candidato derrotado, Zé Raimundo, já foi prefeito. Hoje é deputado estadual. Herzen Gusmão já tinha tentado algumas vezes ser prefeito e não conseguiu. Foi candidato a deputado estadual, ficou na suplência, mas depois assumiu. Se elegeu prefeito e, de novo, ganhou a prefeitura em uma eleição surpreendente", disse. 

MK comparou a situação de Rui à do ex-senador e ex-governador da Bahia, Antônio Carlos Magalhães. "Eu me lembro que ACM, no auge do poder, chegou a ser derrotado algumas vezes, tanto em Feira como em Vitória da Conquista. É importante lembrar disso. Assim como o PT não conseguiu, de 1985 para cá, eleger um só prefeito de Salvador. São sinais", destacou.

Para Mário Kertész, no âmbito nacional, o maior derrotado da eleição nacional, em números gerais, é o atual presidente da República. "O presidente Bolsonaro para mim foi o grande derrotado dessa história toda. Eu vi uma entrevista de ACM Neto, grande vitorioso, não se esqueçam disso. Ele ganhou Salvador, Camaçari, Feira, Conquista e outras cidades. Se firmou cada vez mais forte como candidato a governador daqui a dois anos. Ele deu uma entrevista muito boa para  Folha de S. Paulo em que ele disse assim: 'Nova política ficou velha cedo demais' e 'esquerda perdeu o discurso'", lembrou.

Notícias relacionadas