Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Editorial

Vacinação em clínicas privadas seria 'um absurdo', diz MK; ouça

Em comentário na Rádio Metrópole, Mário Kertész também repudiou o "papelão" do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump: "Engraçado como as pessoas se agarram ao poder"

[Vacinação em clínicas privadas seria 'um absurdo', diz MK; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 05 de Janeiro de 2021 ⋅ 08:25

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (5), Mário Kertész fez críticas à intenção de aquisição de vacinas contra Covid-19 por parte de clínicas privadas no Brasil.

"A grande preocupação agora é a história das clínicas privadas desejarem comprar vacinas para aqueles que podem pagar. Sinceramente, eu acho isso um absurdo. Eu seria até beneficiado. Minha família, meus amigos, vários deles. Mas eu acho um absurdo. Acho que a vacinação tem que ser nacional, feita pelos governos, e com as prioridades definidas cientificamente. Se primeiro são os médicos, o pessoal da área de saúde, os vulneráveis... É isso que a gente espera. Eu acho isso deplorável e mais uma vez torna clara essa profunda desigualdade que existe no nosso país", disse.

MK também comentou o áudio vazado do presidente norte-americano Donald Trump, divulgado pelo jornal The Washington Post, no qual ele pediu ao secretário de Estado da Geórgia, o republicano Brad Raffensperger, que "encontrasse" votos suficientes para reverter sua derrota nas eleições. "Que papelão esse de Donald Trump, hein? Todas as televisões do mundo todo mostraram aquela ligação dele pro secretário de Estado dizendo que só precisava de 11.780 votos para ganhar a presidência. O cidadão mais ouvia do que falava, só dizia que tudo foi feito dentro da lei, não havia nada de errado. Mas é engraçado isso, como as pessoas se agarram ao poder de uma forma que não querem deixar de jeito nenhum", pontuou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas