Sexta-feira, 30 de julho de 2021

Editorial

'Nosso país entra na História como o que pior tratou da pandemia', diz Nardele Gomes; veja

Em editorial, apresentadora da Rádio Metrópole destaca "falta de vontade política" e erros de logística como entraves para a imunização contra a Covid-19 no Brasil

'Nosso país entra na História como o que pior tratou da pandemia', diz Nardele Gomes; veja

Foto: Metropress

Por: Metro1 no dia 02 de março de 2021 às 08:46

A apresentadora da Rádio Metrópole e escritora Nardele Gomes fez o comentário de abertura do Bom Dia com Mário Kertész, na manhã de hoje (25), e destacou os erros do governo de Jair Bolsonaro na condução da pandemia de Covid-19. Citando uma entrevista da médica Margareth Dalcolmo a Mário Kertész, Nardele avaliou que o Brasil sofre com o agravamento da crise sanitária devido a fatores políticos e logísticos.

"Na ocasião, a doutora Margareth disse que 'se quiser, o Brasil vacina 5 milhões de pessoas por dia'. Naquele momento, ela disse que esse cenário seria possível, dependendo de uma decisão política, com um planejamento logístico minucioso, dedicação e vontade. Bastava que se tivesse vacina, que é uma das coisas que a gente não tem, vontade política, que aparentemente também não, e logística, que também não temos, apesar de termos um ministro especialista em logística. Ela também mencionou que precisaríamos de gente trabalhando, horários diferenciados e uma estratégia de guerra em tempos de paz. Pois bem, em 17 de janeiro a vacinação começou no Brasil. Lembrem que ela disse que era possível vacinar 5 milhões de pessoas por dia. Já foram 45 dias desde a primeira vacina, e foram vacinadas no Brasil 6,7 milhões de pessoas. Com duas doses, 2 milhões de pessoas", pontuou.

Para Nardele, as condutas do presidente e de representantes do governo reforçam a percepção de ausência de vontade política. Ela citou a divulgação, por parte de Bolsonaro, de um estudo preliminar sem rigor científico feito por uma universidade alemã, além das três mudanças de versão do Ministério da Saúde sobre quando o ministro Eduardo Pazuello foi informado do colapso da saúde em Manaus.

"O estudo não tinha um grupo de controle, não foi feito com crianças que não tinham sintomas, ou que usavam e não usavam máscaras. Foi feito apenas com pais de crianças que tinham esses sintomas. Eles não relacionam diretamente com o uso de máscaras. A pesquisa não foi revisada por outros especialistas do mesmo escalão e a própria plataforma que divulga o estudo diz que esse resultado não deve ser considerado conclusivo e não é válido como informação para a imprensa. A pergunta é: por que o presidente Bolsonaro foi atrás de um estudo que dava conta do uso de máscaras e sintomas em crianças no dia mais letal da pandemia até hoje? No dia em que 1582 pessoas morreram de covid-19. E outro dado que eu queria chamar atenção: o Supremo Tribunal Federal (STF) abriu uma investigação para apurar a responsabilidade do Ministério da Saúde no caos que aconteceu em Manaus em meados de janeiro. E o ministério já deu três datas diferentes para o dia em que eles souberam que a situação em Manaus era caótica. (...) Não tem nenhuma credibilidade, é zero credibilidade do ministério, da vontade do governo federal em vacinar a população. (...) Infelizmente, nosso país entra na história como o que pior tratou da pandemia e que está vendo o número de 250 mil pessoas aumentar. Possivelmente vamos dobrar esse número em muito menos tempo", pontuou.

Veja o comentário completo:

'Nosso país entra na História como o que pior tratou da pandemia', diz Nardele Gomes; veja - Metro 1