Editorial

MK critica falta de plano de Guedes para crise diante do coronavírus: 'População está em desamparo'

Em comentário na Rádio Metrópole, Kertész também disse que Bolsonaro está mais preocupado em "continuar batendo nos inimigos" do que em combater a pandemia

[MK critica falta de plano de Guedes para crise diante do coronavírus: 'População está em desamparo']
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 17 de Março de 2020 ⋅ 08:23

Diretamente de casa, onde está em isolamento preventivo devido à pandemia de coronavírus, Mário Kertész voltou a demonstrar preocupação com os impactos do surto, hoje (17), em comentário na Rádio Metrópole. Para ele, o ministro da Economia, Paulo Guedes, deveria pensar em como a população mais pobre vai sofrer com a situação.

"O 'posto Ipiranga' [ministro Paulo Guedes] saiu com uma série de medidas para reativar a economia e continua querendo nos vender a ilusão de que o Brasil tem uma economia própria, de que está a salvo caso o mundo pegue fogo. Não é verdade. Precisamos ter isso claro.Ele não pensou em nada para ajudar os governos estaduais e municipais, para atender a grande massa da população brasileira, que é pobre, já está desempregada, ou trabalhando de bico, e que com essas restrições todas não vai ter nem isso! (...) A economia vai parar toda! Aqueles que têm um nível de renda bom vão se virar, mas a grande massa da população brasileira tá num desamparo total", afirmou.

MK também voltou a criticar as atitudes do presidente Jair Bolsonaro. Para ele, o chefe do Executivo nacional vai na contramão do Ministério da Saúde e até mesmo de outros líderes mundiais, como o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

"Fico às vezes pensando, eu não sei e não consigo interpretar as atitudes do presidente Jair Messias Bolsonaro, sinceramente. Eu também não quero só ficar jogando pedra, tem um jurista famoso, Dr. Miguel Reale, que pediu pra fazer um laudo psiquiátrico pra ver se ele tem algum distúrbio mental. Que nada, ele é um homem inteligente! Mas eu não consigo interpretar, sinceramente, porque ao invés de combater a pandemia, ele quer continuar batendo naqueles que ele acha que são os inimigos dele. (...) Até Donald Trump, que a gente sabe que é o grande mentor intelectual de Bolsonaro, estava na televisão ontem cercado de especialistas tomando uma série de medidas duras porque ele percebeu que o caso é sério. Mas ele está fazendo isso porque vai ter eleição esse ano, e ele é candidato a reeleição", pontuou.

MK também ressaltou o papel da Rádio Metrópole junto à população no atual momento. Segundo ele, a emissora se compromete a informar "com astral" e responsabilidade, e conta com a participação do público por telefone.

"Somos um meio de comunicação que sempre se destacou por tratar dos assuntos sérios, difíceis, complicados, crises, mas também com astral. Também vendo que a vida tem vários lados. E não vamos desistir, isso que é importante, nem vamos mudar o tom do nosso trabalho. Na rádio não há nem haverá entrevistas feitas no estúdio, o que é uma prova do nosso comprometimento com a situação que estamos vivendo. (...) Vamos incentivar os ouvintes a entrar no ar! Diaristas, desempregados, motoristas de aplicativo, camelôs, falem! Vamos abrir esses microfones para que todos nós tenhamos essa informação, inclusive os governantes. Temos o privilégio de estarmos há 27 anos com microfones abertos a qualquer pessoa para falar o que quiser. Entrem no ar. Não mandem só mensagem não. Mesmo aquelas pessoas que acham que isso é uma besteira, que o presidente tá certo, dê sua opinião, fale! Tá na hora de abrirmos nossos microfones, já que fechamos nossos estúdios para qualquer entrevistado", disse.

Notícias relacionadas