Editorial

Coronavírus: Bolsonaro 'foi obrigado a reconhecer' gravidade da pandemia, diz MK; ouça

Em comentário na Rádio Metrópole, Mário Kertész ainda repudiou a tentativa de uso político da situação por parte do presidente

[Coronavírus: Bolsonaro 'foi obrigado a reconhecer' gravidade da pandemia, diz MK; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 19 de Março de 2020 ⋅ 08:31

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (19), Mário Kertész elogiou a mudança de atitude do presidente Jair Bolsonaro em relação à pandemia de coronavírus, mas repudiou a tentativa de uso político da situação durante entrevista coletiva do governo federal, na tarde de ontem (18).

"Ontem o presidente da República se juntou com vários ministros, todos usando máscara de uma forma até ridícula e inadequada, mas eu acho que o balanço final foi positivo. Porque, pressionado pela mídia que ele tanto odeia, o presidente foi obrigado a reconhecer, primeiro: que é grave, que o governo tem que parar de ficar com mimimi e mentiras, e indicou algumas medidas. Conseguiu que o ministro da Saúde dele, que vinha se destacando tanto e falando mais tecnicamente, se transformasse num ministro político. Dr. [Luiz Henrique] Mandetta tem feito um bom trabalho e a equipe dele é boa, mas disse que 'nunca um ministério foi tão competente'. (...) O presidente reconheceu a gravidade da situação e disse que assumiu o comando pra defender o povo, mas aproveitou pra dizer que ia ter panelaço a favor do governo às 21h. Quer dizer, no meio de um assunto tão sério, ele fica falando isso. Outra coisa imperdoável, ele não citou o nome, mas todo mundo sabe, a jornalista Vera Magalhães, do Estadão, que divulgou aquele vídeo patético das manifestações de 15 de março. Ele de novo acusou ela e disse que esse vídeo é de 2015. Mas venha cá, grande parte das cenas era: a facada, ele no hospital em vários momentos... Ele tomou a facada antes de 2015? Como é que a pessoa distorce o fato assim? Inacreditável!", exclamou.

MK também criticou as declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que responsabilizou a China por criar e disseminar o coronavírus. A Embaixada do país asiático no Brasil reagiu fortemente ao comentário. "É incrível a capacidade que essa família tem de dizer besteira, criar inimigos e fake news. Eu vejo, inclusive, muita gente chamando o coronavírus de vírus chinês, como se fosse uma produção da China. Inacreditável, rapaz. Tem coisas que são difíceis de acreditar. (...) A China é o nosso maior parceiro comercial, e Eduardo vai em cima disso como no passado o pai dele fazia", disse.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas