Editorial

Bolsonaro 'ataca a inteligência e a normalidade' em discurso sobre coronavírus, diz MK; ouça

"Você que votou em Bolsonaro, diante do que a gente está vendo aí, seguiria o que o presidente determinou e faria com que seus filhos fossem pra escola hoje?", questionou

[Bolsonaro 'ataca a inteligência e a normalidade' em discurso sobre coronavírus, diz MK; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 25 de Março de 2020 ⋅ 08:27

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (25), Mário Kertész repudiou fortemente o pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro sobre a pandemia de coronavírus.

"Eu vejo com enorme tristeza o que está acontecendo no Brasil. O presidente Bolsonaro vai para a televisão pra falar o que ele falou. Segundo o presidente, isto tudo que está acontecendo é besteira, só os idosos é que devem ser protegidos. Os jovens não. Por que fechar as escolas? Então vamos abrir todas as escolas, vamos ver, quem tem filho que queira ser abatido como mosca. (...)  Pelo amor de Deus. Já passamos de qualquer limite que você possa imaginar. Mais uma vez, ele ataca a inteligência, a normalidade, a orientação do Ministério da Saúde", criticou, acrescentando um questionamento: "Eu queria fazer uma pergunta sincera pra vocês, sem nenhum radicalismo ou viés político: você que votou em Bolsonaro e achou que era a melhor opção, você, nesse momento, diante do que a gente está vendo aí, você seguiria o que o presidente determinou e faria com que seus filhos fossem pra escola hoje?".

MK também comentou a informação de bastidores, divulgada pelo Estadão, de que o discurso teria sido feito junto ao chamado "gabinete do ódio", liderado pelo vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), que inclui assessores do Planalto. "Ele vai municiar a militância digital. Vai, né? E os mortos, vai acontecer o quê com eles? A militância digital fará ressuscitar os milhares de mortos que virão a partir de agora? De jeito nenhum. Nunca vi tanta irresponsabilidade. Vários governadores falam em demissão de [Luiz Henrique] Mandetta e impeachment. As Forças Armadas não estão nem um pouco satisfeitas com essa atitude do presidente. Ele está na contramão de 156 países. (...) Todos os países estão confinados. Não consigo entender o que passa na cabeça de um presidente da República que distorceu completamente o cenário do coronavírus", disse.

MK ainda frisou que, embora não tenha apoiado o presidente Jair Bolsonaro na eleição de 2018, não está satisfeito em ver o insucesso do governo. Por outro lado, ele afirmou que esperava uma atitude diferente do chefe do Executivo nacional após a eleição. "Não votei, não votaria, nunca na vida votaria em Jair Messias Bolsonaro. Mas quando ele foi eleito, desejei sucesso, e pensei que após a eleição ele tentaria a pacificação nacional, governar para todos. Mas não, desde o primeiro dia, Jair Messias só fez cultivar e espalhar ódio, divisão entre o povo brasileiro", lamentou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas