Editorial

MK homenageia Eliana Kertész e celebra união de governadores contra coronavírus; ouça

Em comentário na Rádio Metrópole, Mário Kertész lembrou falecimento da artista plástica, ocorrido há três anos, e fez novas críticas às ações de Jair Bolsonaro em meio à pandemia

[MK homenageia Eliana Kertész e celebra união de governadores contra coronavírus; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 26 de Março de 2020 ⋅ 08:35

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (26), Mário Kertész homenageou a memória da artista plástica e ex-vereadora de Salvador Eliana Kertész. Ex-mulher de Mário e mãe de quatro de seus filhos, ela morreu há exatos três anos, após lutar contra um câncer. Ele emocionou-se ao relembrar a trajetória de Eliana.

"Eliana foi excelente, grande companheira, solidária, amiga, e de uma compreensão muito grande com minhas faltas e erros, que não foram poucos. Tivemos quatro lindos filhos: Maria Eduarda, Marcelo, Mariana e Chico. Ela também abraçou meu filho mais velho, Sérgio, que se tornou grande amigo dela. (...) Eliana se tornou essa grande artista plástica de renome nacional e internacional, do mesmo jeito, uma mulher alegre, cheia de amigos, com atenção especial aos filhos, e me acompanhando sempre, inclusive nas minhas doenças e operações. Eu também a acompanhei em sua doença e na hora de sua morte. Sinto muita saudade dela, meus filhos também. Quero prestar essa homenagem porque ela é sincera e de coração", declarou.

Em seguida, MK falou sobre os últimos desdobramentos da crise do coronavírus e destacou que, no atual momento, a economia "tem que parar" e o governo precisa comparecer para socorrer os menos favorecidos, incluindo os pequenos empresários. Ele ainda celebrou as manifestações contrárias ao posicionamento do presidente Jair Bolsonaro quanto às medidas de isolamento social.

"Os grandes têm como se defender. Bancos têm lucros fantásticos, também deveriam estar ajudando e dividindo uma parcela dos lucros. Isso não é comunismo, é solidariedade, compaixão. Corações duros de pessoas que não têm nada na cabeça, a não ser o poder. (...) É inacreditável o momento que estamos vivendo, mas em compensação, dezenas de instituições e homens sérios, médicos, advogados, todos se manifestando contra a tentativa de genocídio do presidente Bolsonaro. O panelaço continua aumentando, ele fala do [presidente dos EUA] Donald Trump e copia Trump. Só que Donald Trump conseguiu que o Congresso aprovasse ontem US$ 2 trilhões para a economia e os desvalidos (...) Nessa hora nós precisamos de líderes. O presidente Bolsonaro hoje é um homem completamente isolado. Vamos acreditar em mito pra ver onde é que nós vamos parar", analisou.

Ainda segundo MK, a música "Apesar de Você", composta por Chico Buarque durante a ditadura militar brasileira, é muito adequada ao atual momento do país. "O que a gente pode usar como tema é aquela música de Chico Buarque de Hollanda: 'Apesar de você, amanhã há de ser outro dia'. Firigido, na época, para Emilio Garrastazu Médici, um dos mais duros ditadores deste país, e que cabe muito bem para o atual presidente, que quer ser ditador, mas ainda não conseguiu", finalizou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas

[MK endossa comentário de ACM Neto sobre bancos; ouça]
Editorial

MK endossa comentário de ACM Neto sobre bancos; ouça

Por Metro1 no dia 22 de Maio de 2020 ⋅ 08:48 em Editorial

Em comentário na Rádio Metrópole, Mário Kertész ainda se posicionou contra o movimento de dentistas que querem reabrir consultórios: "Não conte comigo pra bandalheira"