Editorial

MK defende 'união' e 'tolerância' para superar a crise da Covid-19; ouça

Em comentário na Rádio Metrópole, Mário Kertész também avaliou que o presidente Jair Bolsonaro pode estar começando a mudar de postura: "Desejo que ele pare de tanto tumulto"

[MK defende 'união' e 'tolerância' para superar a crise da Covid-19; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 13 de Julho de 2020 ⋅ 08:28

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (13), Mário Kertész ressaltou a importância da união e da tolerância para atravessar o atual momento da pandemia de coronavírus. MK falou sobre sua mais recente leitura, o livro "Humankind: A Hopeful History" (Humanidade: Uma História Esperançosa, em tradução livre), de Rutger Bregman. A obra, ainda não editada em português, propõe uma nova perspectiva sobre a humanidade, segundo a qual o ser humano tende mais à cooperação do que à competição.

"Foi carimbada em nossos pensamentos a ideia de que as pessoas são egoístas, que visam apenas o lucro, o seu bem-estar, e se lixam para os outros, que isso fica impregnado em todas as nossas cabeças. Eu mesmo reconheço que muitas vezes eu sou tentado a pensar assim. Quando eu acho, por exemplo, que não adianta falar, porque as pessoas não querem mudar. No caso, por exemplo, dessa pandemia, que as pessoas querem ir pra rua, de qualquer jeito, fazer festa, não respeitar a si, ao próximo e a sua família... É claro que sempre tem pessoas que pensam assim e agem assim. Mas esse livro, eu ainda estou em pouco mais da metade, eu quero aprofundá-lo e trazer exemplos e assuntos para debate, inclusive com pessoas outras que tenham mais conhecimento, que possam agregar a essa conversa, porque no momento o mundo todo, e particularmente o Brasil, está vivendo uma fase de grande dificuldade. (...) É como se a gente estivesse voando no meio de uma tempestade, sem enxergar nada. Se nesse momento a gente está desunido, a gente vai chegar onde? (...) Ideologia agora não vale nada. A única coisa que vale agora é a nossa união pra sairmos dessa dificuldade", pontuou.

MK ainda frisou a importância da união dos agentes públicos e avaliou que o presidente Jair Bolsonaro pode estar começando a adotar uma postura "diferenciada".

"A pandemia veio e mudou completamente o cenário local e internacional. Vivemos uam crise, também, institucional, causada pelo estilo de governo do presidente, que agora parece estar tendo uma visão diferenciada. Desejo que ele pare de tanto tumulto, de criar crises, e tente um entendimento para nos levar a um porto, não sei se seguro, mas pelo menos a mares menos revoltos. Que se entenda com o Congresso, com o Supremo, com outras instituições, com o Judiciário, e que a gente possa viver um pouco de tranquilidade. (...) Eu não acho que [a mudança de comportamento de Bolsonaro] seja por conta da Covid, porque pelo que eu vejo ele não está tendo grandes prejuízos e espero que ele se recupere rápido. Não acho que seja a doença que vá permitir a gente ter um melhor governo, de jeito nenhum. Desejo que ele tenha condições de mudar o estilo dele. Vamos buscar uma união nacional. O Brasil está precisando. O mundo está precisando", afirmou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas