Editorial

MK cita 'complexidade' da eleição americana e critica debates atuais: 'Valor zero'

Âncora da Metrópole avalia panorama de indefinição entre Biden e Trump nas urnas

[MK cita 'complexidade' da eleição americana e critica debates atuais: 'Valor zero']
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Metro1 no dia 05 de Novembro de 2020 ⋅ 10:10

Mário Kertész comentou o atual panorama das eleições presidenciais nos Estados Unidos, que conta com a disputa de Joe Biden e Donald Trump nos últimos instantes. Até a manhã desta quinta-feira (5), o democrata aparece com 264 delegados eleitorais, seguido pelo republicano, que tem 214.

"É um sistema eleitoral muito complexo. A gente aprende de quatro em quatro anos, mas no meio do caminho a gente esquece e vem todo mundo explicando de novo. Não tenho mais saco para isso e nem vou submeter vocês a isso. Mas, parece que Trump está surtadíssimo. Já começou a recorrer ao tapetão. Quem está ganhando não fica pensando em ir para o tapetão. Se ele está nessa agonia de tapetão, ele está preocupado. Deve estar mesmo, mas não quer dizer que ele já perdeu", afirmou MK, em comentário durante o programa Bom Dia com Mário Kertész da Rádio Metrópole.

"Não adianta a gente ficar querendo morrer de véspera", acrescentou.

MK também comentou o debate realizado ontem (4) pela Associação Baiana de Imprensa (ABI), em parceria com a seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA). O comunicador elogiou a iniciativa de se manter o evento e promover o encontro dos candidatos para discussão de ideias. No entanto, ele reclamou o formato adotado.

"Sinceramente, não acredito no valor de nenhum destes debates. Valor zero. Não influencia ninguém. Pelo YouTube, tinham menos de 500 pessoas assistindo. Foi muito demorado, três horas, mas é sempre uma oportunidade. Quero parabenizar a ABI e a TVE, que transmitiu, por forçar a democracia e o debate, num processo longo de tentar chegar à população e ela começar a perceber a importância", avaliou. 

"Agora, para isso, o debate precisaria ser mais de discussão de ideias. Teve discussão política e tudo, mas tem que ser livre. Esses debates nossos são chatíssimos. Faz um comentário, réplica, tréplica...é um porre, um saco. Não tem liberdade nenhum. É bom para quem gosta de chegar lá atirando e não tem tempo de televisão", acrescentou MK.

Mário Kertész também falou sobre o rompimento de Donald Trump com a mídia que o apoiava. Ele citou a troca de farpas entre o presidente americano e Rupert Murdoch, proprietário da Fox News, canal aliado de Trump. "A Fox News, canal de televisão de Rupert Murdoch, sempre apoiou Donald Trump, mas eles romperam. Um dia desses Trump ligou para o dono da Fox reclamando e ele disse: 'eu vou publicar as pesquisas e vou ser o primeiro a anunciar sua derrota'. Fogo no galinheiro, o negócio foi brabo. A gente se diverte, né?", afirmou. 

Confira o comentário na íntegra:

 

Notícias relacionadas