Justiça

Justiça torna réu e afasta PM acusado de matar Ágatha Félix

Ágatha morreu em setembro, quando quando foi baleada nas costas. Segundo moradores, PMs atiraram contra uma moto que passava pelo local, e o tiro atingiu a criança

[Justiça torna réu e afasta PM acusado de matar Ágatha Félix]
Foto : Reprodução/RJTV

Por Kamille Martinho no dia 08 de Dezembro de 2019 ⋅ 09:30

A Justiça do RJ aceitou a denúncia do Ministério Público (MPRJ) contra o policial militar Rodrigo José de Matos Soares, acusado de ter disparado o tiro que matou a menina Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, no Complexo do Alemão, em setembro deste ano. Rodrigo, agora, é considerado réu na ação, que corre na 1ª Vara Criminal.

A juíza Viviane Ramos Faria determinou, na última quinta-feira (5), que o porte de arma de fogo de Rodrigo seja cassado, que o policial não exerça atividades de policiamento ostensivo até o fim do processo e que não saia do Rio de Janeiro nesse período.

Segundo a decisão, Ágatha morreu "por erro no uso dos meios de execução por parte do policial militar Rodrigo José de Matos Soares". "O fragmento que atingiu a vítima foi disparado de baseamento da Polícia Militar em direção a um poste de concreto, que se fragmentou, e um dos fragmentos ricocheteou em sentido descendente e atingiu a base do porta-malas da Kombi, o qual ricocheteou novamente, atravessando o banco traseiro, atingindo fatalmente a vítima", diz trecho.

A juíza ainda afirmou que, segundo testemunhas, não havia confronto na região onde a menina foi baleada, enfraquecendo a versão dos policiais de legítima defesa.

Ágatha morreu em setembro. Ela estava dentro de uma Kombi com o avô, quando foi baleada nas costas. Segundo moradores, PMs atiraram contra uma moto que passava pelo local, e o tiro atingiu a criança. 

Notícias relacionadas