Mundo

Papa aceita renúncia de arcebispo acusado de encobrir casos de pedofilia

Wuerl foi citado em documento sobre abuso de padres a mais de mil crianças

[Papa aceita renúncia de arcebispo acusado de encobrir casos de pedofilia]
Foto : Mandel Ngan / AFP

Por Lara Ferreira no dia 12 de Outubro de 2018 ⋅ 11:00

O pedido de demissão do cardeal americano Donald Wuerl de seu cargo de arcebispo de Washington, que foi feito após ele ser acusado de acobertar padres pedófilos, foi aceito pelo papa Francisco hoje (12), de acordo com comunicado do Vaticano. 
 
Wuerl havia anunciado em setembro o desejo de renunciar a posição. Ele foi citado em um relatório, divulgado no dia 14 de agosto, que expôs um escândalo de abusos sexuais de padres contra crianças. 
 
O documento, feito pelo júri da Pensilvânia, foi resultado de uma investigação realizada durante dois anos, que mostrou que mais de mil crianças foram abusadas por cerca de 300 clérigos no estado em um período de 70 anos. Estima-se, na verdade, que o número de vítimas seja ainda maior. 
 
Wuerl foi bispo de Pittsburgh de 1988 a 2006 e é citado repetidamente como um dos líderes da Igreja que ajudaram a encobrir os casos. Ele é acusado de não ter tomado as medidas necessárias para acabar com os crimes e proteger as crianças.
 
O relatório afirma que, apesar do arcebispo ter avisado ao Vaticano das acusações feitas sobre diversos padres, ele permitiu, nos anos seguintes, que alguns dos membros suspeitos fossem enviados a outras paróquias ou se aposentassem e não avisou as autoridades.

O cardeal é um dos nomes mais importantes da Igreja citados no documento e houve pressão, inclusive dentro do clero, para que ele renunciasse. 

Notícias relacionadas