Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Dificuldade com insumos mostra que Bolsonaro está 'colhendo o que plantou', diz Rui

Em entrevista à Rádio Metrópole, governador da Bahia avaliou como "desastrosa" a condução da política internacional do Executivo nacional

[Dificuldade com insumos mostra que Bolsonaro está 'colhendo o que plantou', diz Rui]
Foto : Metropress

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 08:49

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), avalia que a dificuldade do Brasil para receber insumos e vacinas contra a Covid-19 está diretamente ligada à condução "desastrosa" das relações internacionais por parte do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em entrevista a Mário Kertész, hoje (21), durante o Jornal da Bahia no Ar, na Rádio Metrópole, Rui afirmou que o governo federal e a população "colheram o que plantaram".

"É importante que a população compreenda isso: você só colhe aquilo que você plantou. Se você quer colher mamão, não plante semente de melancia. As pessoas, infelizmente, plantaram uma semente muito ruim para o Brasil, que foi o atual presidente e a condução desastrosa da sua equipe. Essa ficará marcada na história do Brasil como a pior gestão da República. Não conheço na história do Brasil uma condução tão desastrosa, inclusive no âmbito internacional. (...) Então, a maioria do povo brasileiro plantou o atual presidente e está colhendo, na minha opinião, o desastre da incapacidade, da incompetência de governar dele. E ele plantou uma relação internacional beligerante, desrespeitosa", disse.

Rui lembrou que a diplomacia brasileira "sempre foi reconhecida" internacionalmente, ainda que o Brasil não estivesse entre as principais economias, e criticou o trabalho do atual ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. "Aí entra esse rapaz e coloca um incapaz, alguém que é seu espelho do ponto de vista da capacidade de interlocução, para conduzir as relações internacionais do Brasil. Então hoje estamos colhendo essa animosidade, essa falta de boa vontade, porque ele xingou todo mundo, agrediu todo mundo e não pode colher outra coisa que não seja indiferença pra esse governo. (...) Falou mal da vacina chinesa, falou mal dos indianos. O Brasil faz parte do Brics [bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul] e historicamente buscou se alinhar com esses países por terem a mesma situação econômica em relação aos países mais ricos. Infelizmente o Brasil se ajoelhou para uma nação do mundo e desrespeita as outras nações", analisou.

Notícias relacionadas