Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Presidentes eleitos do Congresso anunciam como prioridades a agilidade da vacinação e aprovação de reformas econômicas

Arthur Lira e Rodrigo Pacheco também citaram a possibilidade da volta do Auxílio Emergencial em pronunciamento

[Presidentes eleitos do Congresso anunciam como prioridades a agilidade da vacinação e aprovação de reformas econômicas]
Foto : Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Por Adele Robichez no dia 03 de Fevereiro de 2021 ⋅ 11:34

Os presidentes eleitos do Senado e da Câmara, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL) apresentaram hoje (3) as medidas que consideram prioridade para o Brasil. Dentre elas, estão a agilidade na vacinação contra a Covid-19, a aprovação da reforma tributária e uma possível volta do Auxílio Emergencial.

O documento assinado pelos representantes do Congresso garante a ida prioritária dos recursos disponíveis, vindos de tributos cobrados à população, para a imunização nacional. "Assegurar, de forma prioritária, que todos os recursos para aquisição de vacinas estejam disponíveis para o Poder Executivo e que não faltem meios para que toda a população possa ser vacinada no prazo mais rápido possível; e que a peça orçamentária a ser votada garanta que cada brasileiro terá a certeza de que o dinheiro do seu imposto estará disponível para sua vacina", diz.

Além disso, Pacheco e Lira anunciaram que a reforma tributária e da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial serão prioridades das suas gestões e citam a possibilidade da volta do Auxílio Emergencial. "O Senado Federal e a Câmara dos Deputados manifestam que trabalharão de forma conjunta, harmônica e colaborativa em todos os temas que possam facilitar e ajudar os brasileiros na superação do drama da pandemia, incluindo, sobretudo, a análise das possibilidades fiscais para, respeitando o teto de gastos, avaliar alternativas de oferecer a segurança financeira através de auxílio emergencial", informa o documento.

Após o pronunciamento em conjunto, os dois se reuniram com o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido), que os apoiou nas eleições do Legislativo.

Notícias relacionadas