Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 11 de abril de 2024

Política

PF afirma que militares da ativa escreveram carta para pressionar Exército a participar de golpe

A descoberta dos militares foi possível após análise de metadados do documento, recebido pelo tenente-coronel Mauro Cid

PF afirma que militares da ativa escreveram carta para pressionar Exército a participar de golpe

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Por: Metro1 no dia 23 de fevereiro de 2024 às 08:56

Atualizado: no dia 23 de fevereiro de 2024 às 09:03

A Polícia Federal (PF) descobriu a identidade de dois membros das Forças Armadas que supostamente ajudaram na elaboração de uma carta redigida por oficiais em serviço ativo que pressionava o comandante do Exército em 2022, general Marco Antônio Freire Gomes, ter uma ação radical frente aos apelos por um golpe para manter Jair Bolsonaro (PL) na Presidência.As informações são da Folha de S. Paulo.

A descoberta foi possível ao analisar os metadados do documento, o qual foi recebido pelo ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, o tenente-coronel Mauro Cid, em 28 de novembro de 2022. O autor da carta é o coronel Giovani Pasini e o coronel Alexandre Castilho Bitencourt da Silva é apontado como o último a modificar o texto. 

"Consideramos importante, portanto, que os Poderes e Instituições da União assumam os seus papéis constitucionais previstos em lei e em prol da pacificação política, econômica e social, especialmente para a manutenção da Garantia da Lei e da Ordem e da preservação dos poderes constitucionais, respeitando o pacto federativo previsto na regra basilar de fundação da República", dizia trecho da carta.

Ela foi escrita no período em que bolsonaristas ficaram acampados em frente a quartéis do Exército solicitando que as Forças Armadas fizessem uma intervenção contra a eleição do presidente Lula.