Política

Bruno Reis vira alvo de ataques de Alice no Facebook

Candidata à prefeitura de Salvador, a deputada Alice Portugal (PCdoB) tem utilizado suas redes sociais para atacar adversários. Após perder oito liminares para ACM Neto, as publicações da comunista agora têm como alvo Bruno Reis (PMDB) que é o vice na chapa do atual prefeito. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Luiza Leão no dia 11 de Setembro de 2016 ⋅ 12:26

Candidata à prefeitura de Salvador, a deputada Alice Portugal (PCdoB) tem utilizado suas redes sociais para atacar adversários. Após perder oito liminares para ACM Neto, as publicações da comunista agora têm como alvo Bruno Reis (PMDB) que é o vice na chapa do atual prefeito.

Em publicação no Facebook, Alice questiona os internautas sobre o conhecimento deles pelo peemedemista “amigo íntimo de Geddel” e chega até a mostrar foto dos dois em um avião. Além disso, a candidata diz que Bruno Reis é “suspeito de participar de esquema de fraude em obras e licitações públicas descobertos na Operação Navalha”.

A deputada diz ainda que Reis desacatou guardas de trânsito quando foi parado em uma blitz, demonstrando também não ter sensibilidade para cuidar de quem mais precisa. Ao final da postagem ela questiona os eleitores: “Você deixaria o comando de Salvador nas mãos de uma pessoa com esse histórico?”.

                       

Notícias relacionadas

[Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares]
Política

Governo prepara MP para recadastrar armas irregulares

Por Juliana Rodrigues no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 08:00 em Política

Ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, negou que a medida seja uma forma de anistia: "No governo do PT ninguém nunca chamou de anistia, por que vai chamar no governo do...

[Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna]
Política

Decreto da arma ignorou sete sugestões de Moro, diz coluna

Por Clara Rellstab no dia 16 de Janeiro de 2019 ⋅ 06:49 em Política

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comp...