Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sexta-feira, 19 de abril de 2024

Home

/

Notícias

/

Política

/

"O que não avançou em três anos, avançou em três meses", diz Neto sobre BRT

Política

"O que não avançou em três anos, avançou em três meses", diz Neto sobre BRT

Após a assinatura do contrato para a liberação dos recursos do primeiro trecho do BRT de Salvador, nesta sexta-feira (16), o prefeito e candidato à reeleição ACM Neto (DEM), criticou o governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que teria dificultado o avanço do projeto na capital baiana. [Leia mais...]

"O que não avançou em três anos, avançou em três meses", diz Neto sobre BRT

Foto: Tácio Moreira/Metropress

Por: Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 16 de setembro de 2016 às 12:36

Após a assinatura do contrato para a liberação dos recursos do primeiro trecho do BRT de Salvador, nesta sexta-feira (16), o prefeito e candidato à reeleição ACM Neto (DEM), criticou o governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que teria dificultado o avanço do projeto na capital baiana. "Perdi as contas de quantas vezes fui a Brasília para tratar disso. Tivemos muito discurso, muita promessa e nada de concreto", disse.

Elogiando o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, o democrata afirmou: "O que não avançou em três anos, avançou em três meses. Geddel é parceiro de todas as horas da cidade de Salvador e já deu provas disso. Ele mostra como atua em Brasília quando lhe é dada a oportunidade. Não houve uma vez que fui a Brasília e não tenha ido ao gabinete de Geddel. É um parceiro e foi fundamental (...) Eu, longe de querer polemizar ou politizar. Posso dizer que com Geddel em Brasília conseguimos resolver em 3 meses o que se arrastou por 3 anos. A ex-presidente prometeu, fez muito discurso. Foi cobrada por você, inclusive, e as coisas não aconteceram. Agora é concreto, está aqui. Os fatos falam muito mais que milhares de palavras. As palavras poderiam parecer algum tipo de provocação política. A fotografia da assinatura com a Caixa e a presença de Geddel fala por se só”, acrescentou. 

obras da primeira fase do BRT de Salvador. Em cerimônia realizada nesta sexta-feira (16), o democrata se negou a falar de uma possível “má vontade” da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) com o repasse de verbas para o BRT, mas disse “trabalhar com fatos” e atribuiu ao ministro Geddel Vieira Lima a solução para o imbróglio. 

Neto destacou ainda as dificuldades para levar o projeto adiante. "Comecei as tratativas do BRT no começo da minha gestão. Depois, passamos a responsabilidade do metrô para o governo [Rui]. Depois, vieram as manifestações de rua e o governo reuniu os prefeitos para anunciar que ia avancar no PAC da mobilidade urbana. Depois a ex-presidente [Dilma] esteve aqui e viabilizou o BRT, depois passaram três anos e não foram três anos faceis", finalizou.

Ainda de acordo com o democrata, "a prefeitura vai dialogar com o governo do estado para implantar os corredores do BRT na Avenida 29 de Março e na Avenida Gal Costa". Com o primeiro trecho, uma viagem entre a Lapa e o Iguatemi deve acontecer em 16 minutos.