Política

Aleluia elogia Trump: "Não há motivos para temer governo" do republicano

O deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) foi entrevistado por José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (9), e comentou a vitória de Donald Trump sobre Hillary Clinton nas eleições presidenciais nos Estados Unidos. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução

Por Gabriel Nascimento no dia 09 de Novembro de 2016 ⋅ 10:37

O deputado federal José Carlos Aleluia (DEM) foi entrevistado por José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (9), e comentou a vitória de Donald Trump sobre Hillary Clinton nas eleições presidenciais nos Estados Unidos. O democrata, que está na América do Norte, exaltou o republicano e afirmou que "não há motivo para que se possa temer o governo de Trump". "Simplesmente, ele foi o candidato que venceu a estrutura política envelhecida do partido democratas que está no poder há 16 anos, com o apoio da imprensa engajada, imprensa que tem sobretudo dois veículos de democratas que adoram fazer editorial", afirmou.

"O Brasil que está com o novo governo, tem que esperar as possibilidades, incrementar o comércio, a operação internacional, respeitar a vitória, a vontade do povo americano. O discurso dele, um discurso estadista, elogiando Hillary, chamando para união. Vai ter mudanças, o Brasil tem que buscar oportunidades", acrescentou.

Para Aleluia, Trump causará certo impacto no início, mas depois trará benefícios ao Brasil. "Temos que reconhecer que depois de 16 anos o povo americano decidiu trilhar um novo caminho em relação a economia. Nesse primeiro momento tem um custo, mas depois a economia americana vai se dar muito bem e isso pode gerar benef?icios para outros países inclusive do Brasil", finalizou.

Notícias relacionadas

[MPF dá 10 dias para governo explicar censura na Ancine]
Política

MPF dá 10 dias para governo explicar censura na Ancine

Por Kamille Martinho no dia 22 de Agosto de 2019 ⋅ 19:30 em Política

Os procuradores requisitam informações sobre a suspensão do edital e sobre a decisão de não aprovar projetos audiovisuais relacionados a temáticas LGBT