Política

Vereador critica governo por campanha antimachismo no Carnaval

O vereador Alexandre Aleluia (DEM) usou o plenário da Câmara Municipal de Salvador para criticar o governo de Rui Costa (PT) pela campanha 'Respeita as Mina' durante o Carnaval de Salvador deste ano. Embora dados da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, do governo federal, tenham mostrado que o índice de violência sexual cresceu quase 90% em 2017, o democrata afirmou que recursos estaduais não deveriam ter sido alocados em campanhas antimachismo. [Leia mais...]

[Vereador critica governo por campanha antimachismo no Carnaval]
Foto : Camila Souza/Secom

Por Felipe Paranhos e Matheus Simoni no dia 13 de Março de 2017 ⋅ 16:50

O vereador Alexandre Aleluia (DEM) usou o plenário da Câmara Municipal de Salvador para criticar o governo de Rui Costa (PT) pela campanha 'Respeita as Mina' durante o Carnaval de Salvador deste ano. Embora dados da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, do governo federal, tenham mostrado que o índice de violência sexual cresceu quase 90% em 2017, o democrata afirmou que recursos estaduais não deveriam ter sido alocados em campanhas antimachismo.

Em discurso acalorado nesta segunda-feira (13), o democrata questionou a destinação da verba. Para Aleluia, há dinheiro para as campanhas, mas não há para valorizar o trabalho dos policiais militares. "Tem dinheiro para o 'Respeita as Mina', mas não tem para pagar policial", disse o vereador. Alexandre Aleluia também criticou o aumento da criminalidade no estado e disse que o aumento nos índices está "intimamente ligado" à ascensão do Partido dos Trabalhadores. "Enquanto o PT estiver no poder, a criminalidade estará alta. A gente tem que acabar com isso e, se quiser acabar com isso, não pode deixar as coisas do jeito que estão. O criminoso tem que voltar a ser considerado como tal", declarou, num discurso que atacou também as instituições de defesa aos direitos humanos.

Logo após as declarações de Aleluia, a vereadora Aladilce Souza (PCdoB) criticou a fala do colega. "Foi um recurso muito bem empregado e, como presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, quero me posicionar contra o vereador", afirmou.

Ainda durante a folia, a secretária estadual de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira, explicou as razões da ação 'Respeita as mina', que teve, inclusive, um trio próprio no Carnaval de Salvador. "A violência é uma das faces mais cruéis do machismo. Temos que nos unir, governo e sociedade, para enfrentar esse fardo que existe. Acham que tem o direito de beijar mulheres, de bater, e até chega a ferir o direito a vida em algumas situações. Estamos enfrentando com diversos órgãos, para que a gente possa enfrentar definitivamente esse problema pelo menos sob o ponto de vista das iniciativas", disse. 

Julieta afirmou também que uma das funções da campanha foi encorajar as denúncias por parte das mulheres. "Em festa, os dados são mais divulgados, mas temos que realmente enfrentar esse problema, porque não há registro. A mulher às vezes fica com receio, porque não é só no circuito. Às vezes, a violência é doméstica. Não é possível que a gente continue dessa maneira. Queremos dar o suporte para que essa mulher consiga dar queixa pra que isso não se repita. A violência afeta tanto a vida da mulher quanto o direito de ir e vir", declarou.

Notícias relacionadas