Política

Advogado de Lula diz que 'Operação Lava-Jato não tem legitimidade'

O advogado de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins, afirmou que "a operação não tem legitimidade, uma vez que não observa as garantias fundamentais dos direitos dos investigados". [Leia mais...]

[Advogado de Lula diz que 'Operação Lava-Jato não tem legitimidade']
Foto : Agência Brasil

Por Yasmin Garrido no dia 24 de Março de 2017 ⋅ 15:51

O advogado de defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin Martins, participou do seminário "O que a Lava-Jato tem feito pelo Brasil”, organizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) nesta sexta-feira (24), e afirmou que "a operação não tem legitimidade, uma vez que não observa as garantias fundamentais dos direitos dos investigados".

“Até agora, tivemos 24 audiências em Curitiba e ouvimos 73 testemunhas, 27 delas selecionadas pelo próprio Ministério Público e nenhuma afirmou qualquer fato que pudesse relacionar o nome do ex-presidente Lula a um crime. Ao contrário, elas dizem que não houve nenhuma participação do ex-presidente em qualquer ato politico", disse Martins.

Durante o evento, o advogado ainda criticou o procurador Deltan Dallagnol, que ficou famoso após utilizar o PowerPoint durante coletiva de imprensa. "Esse é o sumário dos 73 depoimentos, bastante diferente do que se coloca através de coletivas. E eu digo isso principalmente em relação ao procurador da República que fez a coletiva do PowerPoint”, alfinetou Cristiano.

O advogado do ex-presidente afirmou também que as autoridades à frente da Operação Lava Jato não têm a isenção necessária para promover o julgamento de Lula. “O presidente Lula foi vitima de uma condução coercitiva ilegal, de sucessivas intercepções telefônicas, da divulgação dessas ligações, é importante ressaltar que a lei proíbe isso", afirmou.

Notícias relacionadas

[MP para empregar jovens adianta reforma trabalhista]
Política

MP para empregar jovens adianta reforma trabalhista

Por Juliana Almirante no dia 13 de Novembro de 2019 ⋅ 07:27 em Política

Entre as mudanças, estão trabalho aos domingos para todas as categorias, abertura de agências bancárias aos sábados e novas normas de fiscalização