Política

População não deve julgar nomes da Lista de Fachin, diz Föppel: 'Não foram condenados'

A lista dos 83 inquéritos solicitados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, na última terça-feira (11), é o assunto do momento no país. Mas, de acordo com um dos advogados criminalistas mais conceituados da Bahia, Gamil Föppel, a população não pode classificar todos os citados como criminosos, já que não foram denunciados. [Leia mais...]

[População não deve julgar nomes da Lista de Fachin, diz Föppel: 'Não foram condenados' ]
Foto : Reprodução/Jornal Grande Bahia

Por Gabriel Nascimento no dia 12 de Abril de 2017 ⋅ 08:19

A lista dos 83 inquéritos solicitados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin, na última terça-feira (11), é o assunto do momento no país. Mas, de acordo com um dos advogados criminalistas mais conceituados da Bahia, Gamil Föppel, a população não pode classificar todos os citados como criminosos, já que não foram denunciados. \'[A lista] Não quer dizer que as pessoas tenham sido denunciadas formalmente, nem condenadas. Não pode existir julgamento sumário por parte da opinião pública. É necessário oportunidade para as pessoas se manifestarem\', declarou em entrevista à Rádio Metrópole, nesta quarta-feira (12). 

Föppel lembrou ainda que, quando o pedido de inquérito é feito, as pessoas indicadas não são ouvidas previamente. \'Essas pessoas não são ouvidas. Me chama atenção que a população divulgue muito os nomes sobre os quais foram feitos os pedidos de investigação e não se divulgue a respeito dos arquivamentos. Ninguém se interessa pelos arquivamentos feitos. É preciso ter calma, a investigação e o processo têm seu tempo natural para coleta de provas. Ao final das investigações, quem tiver prova, poderá ser denunciados e os outros que não, terão arquivamento\', finalizou.

Notícias relacionadas