Política

\'Efeito Lava Jato\': após lista de Fachin, Congresso passa o dia \'vazio\'

Nesta quarta-feira (12), um dia após a divulgação da chamada \'lista de Fachin\', que contém os nomes dos políticos citados nas delações da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato, o Congresso Nacional passou com corredores vazios. Câmara e Senado tiveram os trabalhos reduzidos. [Leia mais...]

[\'Efeito Lava Jato\': após lista de Fachin, Congresso passa o dia \'vazio\']
Foto : Agência Brasil

Por Yasmin Garrido no dia 12 de Abril de 2017 ⋅ 17:16

Nesta quarta-feira (12), um dia após a divulgação da chamada \'lista de Fachin\', que contém os nomes dos políticos citados nas delações da Odebrecht no âmbito da Operação Lava Jato, o Congresso Nacional passou com corredores vazios. Câmara e Senado tiveram os trabalhos reduzidos.

Na última terça (11), o ministro e relator da operação no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, autorizou a  Procuradoria-Geral da República (PGR) a investigar 8 ministros, 3 governadores, 24 senadores e 39 deputados federais. Entre os alvos dos novos inquéritos estão os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

A comissão especial da reforma trabalhista na Câmara dos Deputados conseguiu o quórum necessário para funcionar. Na sessão, o relator do texto, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), leu o parecer que trata da reforma proposta pelo Palácio do Planalto.

Já no Senado, a sessão do plenário foi cancelada por falta de quórum. Apenas 15 dos 81 senadores marcaram presença na sessão. Na ala de comissões da Casa, poucos colegiados funcionaram e a reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) foi cancelada.

Notícias relacionadas