Política

Durante interrogatório da Polícia Federal, Joesley Batista e Ricardo Saud decidem ficar calados 

Os delatores do grupo J&F, o empresário Joesley Batista, e o executivo da empresa Ricardo Saud, decidiram ficar calados em interrogatório realizado na tarde desta quinta-feira (14) na superintendência da Polícia Federal. [Leia mais...]

[Durante interrogatório da Polícia Federal, Joesley Batista e Ricardo Saud decidem ficar calados ]
Foto : Agência Brasil

Por Paloma Morais no dia 14 de Setembro de 2017 ⋅ 17:26

Os delatores do grupo J&F, o empresário Joesley Batista, e o executivo da empresa Ricardo Saud, decidiram ficar calados em interrogatório realizado na tarde desta quinta-feira (14) na superintendência da Polícia Federal. 

Ambos estão presos temporiariamente na superintendência da Polícia Federal em Brasília. O prazo da prisão acaba nesta quinta (14). A decisão sobre um possível pedido de prorrogação será tomada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin. Porém, mesmo não sendo prorrogado, Joesley será transferido para São Paulo, onde ficará detido e cumprirá a prisão preventiva, determinada na última quarta (13) pela Justiça de São Paulo em uma investigação sobre uso de informação relevante não divulgada ao mercado para vantagem indevida.

O depoimento dos empresários nesta quinta seria referente ao inquérito instaurado pela presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, para apurar o conteúdo de conversa gravada em que os dois fazem menções a ações irregulares de ministros do Supremo.

O advogado de Joesley e Saud, Antonio Carlos Castro Machado, o Kakay, alegou que seus clientes ficaram calados devido a iminência de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, solicitar a retirada dos benefícios ganhos no acordo de delação premiada.

Notícias relacionadas