Política

Marcílio comenta participação do PRB em decisão de Neto: "Entendo que é estratégica"

Depois de ter seu retorno para a Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal) confirmado, Marcílio Bastos conversou com o Metro1, na manhã desta terça-feira (19), e comentou a decisão do prefeito ACM Neto (DEM). [Leia mais...]

[Marcílio comenta participação do PRB em decisão de Neto:
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 19 de Setembro de 2017 ⋅ 10:51

Depois de ter seu retorno para a Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal) confirmado, Marcílio Bastos conversou com o Metro1, na manhã desta terça-feira (19), e comentou a decisão do prefeito ACM Neto (DEM). "Provavelmente, o partido [PRB] teve participação nessa decisão. Uma coisa que eu posso deixar clara: o Marcílio técnico sempre dedicou a vida em fazer o melhor onde estava. Tive a oportunidade de ser revelado por Neto (...) e agora, ele toma a decisão de trazer a Desal de volta, vamos com muito orgulho", afirmou.

"Eu continuo filiado ao PRB. Não tive conversa com ninguém do PRB, apenas com o prefeito que me chamou e falou das modificações e eu entendo que é estratégica. Eu confio no prefeito, faz um bom trabalho", acrescentou.

O novo presidente da Desal disse ainda que vai "ressuscitar" a empresa. "As praças vão melhorar, vamos lançar o novo mobiliário até sexta-feira. Já está pronto. Vamos começar a produzir também piso de borracha, tanto o piso, quanto quebra-molas. Vamos começar a desenvolver isso, uma tecnologia para reduzir o custo. A partir de 2018, teremos a produção [de tampas de bueiros] com pneus, resina, vai ser útil e combater alagamentos, já que são permeáveis", concluiu. Os novos secretários foram anunciados pelo prefeito durante evento no bairro de Valéria.

Notícias relacionadas

['Bolsonaro atira pelas costas nos seus soldados', diz Bebianno]
Política

'Bolsonaro atira pelas costas nos seus soldados', diz Bebianno

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Agosto de 2019 ⋅ 12:20 em Política

Em entrevista ao Estadão, ex-ministro também disse acreditar que indicação de Eduardo Bolsonaro como embaixador serve para atender a um "capricho" do filho do presidente