Política

"Não me preocupo minimamente", diz Temer sobre denúncias

O presidente Michel Temer falou sobre as denúncias em que tem sido alvo, nesta quarta-feira (20), durante evento em Nova York. Segundo o presidente, não há motivos para que ele se preocupe "minimamente" com as denúncias apresentadas pela pela Procuradoria Geral da República (PGR). [Leia mais...]

[
Foto : REUTERS/Darren Ornitz

Por Paloma Morais no dia 20 de Setembro de 2017 ⋅ 18:40

O presidente Michel Temer falou sobre as denúncias em que tem sido alvo durante evento em Nova York nesta quarta-feira (20). Segundo o presidente, não há motivos para que ele se preocupe "minimamente" com as denúncias apresentadas pela Procuradoria Geral da República (PGR). "Eu volto a dizer: estas coisas tem que ser apuradas, e eu não me preocupo minimamente com isso", afirmou. "Eu acho que [os ilícitos] devem ser apurados porque, apurados até o seu final, verificar-se-á quem são evidentemente os praticantes de ilícitos e quem não são os praticantes ilícitos", acrescentou.

Temer ainda afirmou que o país vem combatendo a corrupção. Ele ainda aproveitou para dizer que as denúncias contra ele são "inverdades absolutas" e que ele confia no Judiciário brasileiro."As instituições estão funcionando regularmente. O Judiciário funciona regularmente, o Legislativo igualmente, o Executivo, o Ministério Público, que é quem cuida um pouco dessas ações. Tanto que, na verdade, quando há essas afirmações, elas são apuradas", disse.

O presidente destacou que com o devido funcionamento das instituições, os investidores não precisam se preocupar com o "fenômeno corruptor"."O fato é que a corrupção está sendo combatida e isto dá mais segurança aos nossos investidores. Os investidores que forem para lá não vão ter preocupações com o fenômeno corruptor. Que convenhamos, isto envolveu muitas empresas brasileiras, empresas até de grande porte, empresas que se adaptaram a um determinado sistema e tiveram fortes prejuízos em função disso. Ora bem, o investidor estrangeiro que vai para lá, sabedor de que nós vivemos numa democracia plena, de que as instituições estão funcionando vai com muito mais tranquilidade”, afirmou.

Denúncia

O até então procurador-geral da República Rodrigo Janot, apresentou a denúncia na semana passada, e acusou Temer de organização criminosa e obstrução de Justiça. Nesta tarde, a maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu pela negativa do pedido da defesa de suspensão do envio à Câmara da nova denúncia contra o presidente. Agora, cabe a Câmara autorizar o prosseguimento da acusação para análise no STF. São necessários os votos de pelo menos 2/3 dos deputados para que isso aconteça. Esta é a segunda acusação formal apresentada por Janot contra o presidente. Porém, a primeira foi barrada pela Câmara.

Leia mais:

Janot denuncia Temer ao STF por corrupção passiva

Maioria do STF decide enviar denúncia contra Temer para a Câmara

 

 

Notícias relacionadas