Política

Em carta, ex-ministro Antônio Palocci pede desfiliação do PT

o ex-ministro Antônio Palocci enviou uma carta ao Partido dos Trabalhadores (PT) nesta terça-feira (26) pedindo a desfiliação da legenda. No documento que contêm 4 páginas, endereçada à presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, Palocci explica o motivo de deixar o partido em que ele ajudou a fundar.[Leia mais...]

[Em carta, ex-ministro Antônio Palocci pede desfiliação do PT]
Foto : Reprodução

Por Paloma Morais no dia 26 de Setembro de 2017 ⋅ 19:04

o ex-ministro Antônio Palocci enviou uma carta ao Partido dos Trabalhadores (PT) nesta terça-feira (26) pedindo a desfiliação da legenda. No documento que contêm 4 páginas, endereçada à presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, Palocci explica o motivo de deixar o partido em que ele ajudou a fundar.

Ex-ministro dos governo Lula e Dilma, Palocci estava suspenso da sigla desde a última sexta-feira (22) por 60 dias, período que tramitaria o processo aberto pelo dretório municipal do PT, em São Paulo, sob a acusação de traição ao partido. Durante depoimento ao juiz federal Sergio Moro, no início do mês, Palocci afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um "pacto de sangue" no qual a Odebrecht se comprometeu a pagar R$ 300 milhões em propinas ao PT. 

Na carta, Palocci não poupa críticas ao PT e ao ex-presidente Lula. Ele diz que recebeu com estranhamento o processo aberto contra ele por causa das declarações contra Lula. "Pensava ser normal que o partido procurasse saber as razões que levaram a tal condenação e minhas eventuais alegações. Mas nada recebi sobre isso", escreveu o ex-ministro. "Até quando vamos fingir acreditar na autoproclamação do "homem mais honesto do país" enquanto os presentes, os sítios, os apartamentos e até o prédio do Instituto (!!!) são atribuídos a Dona Marisa? Afinal, somos um partido sob a liderança de pessoas de carne e osso ou somos uma seita guiada por uma pretensa divindade?", acrescentou.

Palocci ainda cita uma reunião ocorrida na biblioteca do Palácio do Alvorada em que Lula teria encomendado contratos de sondas do pré-sal para financiar as campanhas do PT. "Um dia, Dilma e (José Sérgio) Gabrielli dirão a perplexidade que tomou conta de nós após a fatídica reunião na biblioteca do Alvaroda, onde Lula encomendou as sondas e as propinas, no mesmo tom, sem cerimônias, na cena mais chocante que presenciei do desmonte moral da mais expressiva liderança popular que o país construiu em toda nossa história", disse.

Ele ainda reafirma que todo o conteúdo delatado é verdadeiro. "De qualquer forma, quero adiantar sobre as informações prestadas em 06/09/2017 são fatos absolutamente verdadeiros", afirma. Segundo Palocci,em breve, "o próprio Lula irá confirmar tudo isso". "Como chegou a fazer com o ʹmensalãoʹ, quando, numa importante entrevista concedida na França, esclareceu que as eleições do Brasil eram todas realizadas sob a égide do caixa dois, e que era assim com todos os partidos", contou.

Ao final da carta, Palocci reitera o pedido. "Por todas essas razões, ofereço a minha desfiliação e o faço sem qualquer ressentimento ou rancores. Meu desligamento do partido fica então à vossa disposição", concluiu.

Notícias relacionadas

[Podemos decide expulsar Marco Feliciano]
Política

Podemos decide expulsar Marco Feliciano

Por Juliana Rodrigues no dia 10 de Dezembro de 2019 ⋅ 10:00 em Política

Em nota, deputado se disse orgulhoso de ter sido expulso da legenda por apoiar Bolsonaro