Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Munição liga caso Marielle à maior chacina da história de SP

Em nota conjunta, a Polícia Federal e a Polícia Civil do Rio não confirmaram a informação específica, mas afirmaram que estão apurando a denúncia. [Leia mais...]

[Munição liga caso Marielle à maior chacina da história de SP  ]
Foto : Mário Vasconcellos/CMRJ

Por Clara Rellstab no dia 16 de Março de 2018 ⋅ 14:42

A munição que matou a vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) na última quarta-feira (14) foi comprada pela Polícia Federal em dezembro 2006 – segundo a TV Globo, o lote é o mesmo encontrado em agosto de 2015, na chacina de Osasco e Barueri, em São Paulo.

À época, a investigação descobriu que parte das cápsulas encontradas no local do crime pertencia ao lote UZZ-18, adquirido pela PF de uma empresa privada. Na ocasião, três policiais militares e um guarda civil foram condenados pela chacina.

Em nota conjunta, a PF e a Polícia Civil do Rio não confirmaram a informação específica, mas afirmaram que a denúncia já é apurada. Ainda segundo a reportagem, a munição foi comprada pela Polícia Federal de Brasília.

Notícias relacionadas