Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Ministro diz que está sendo ʹcrucificadoʹ após adiamento de julgamento sobre Lula

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou que está sendo “crucificado como culpado” pelo adiamento do julgamento do pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para evitar ser preso, feito na última quinta-feira (22). Em palestra na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Rio de Janeiro (OAB-RJ) [Leia mais...]

[Ministro diz que está sendo ʹcrucificadoʹ após adiamento de julgamento sobre Lula]
Foto : Tomaz Silva/ OAB/RJ

Por Bárbara Silveira no dia 24 de Março de 2018 ⋅ 18:32

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou que está sendo “crucificado como culpado” pelo adiamento do julgamento do pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para evitar ser preso, feito na última quinta-feira (22). Em palestra na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Rio de Janeiro (OAB-RJ) ontem (23), o ministro contou que teve de cancelar endereços de e-mail e trocar telefones após receber cerca de mil mensagens por dia.

“Hoje estou sendo crucificado. Estou sendo crucificado como culpado pelo adiamento do julgamento do habeas corpus do presidente Lula, porque sou um cumpridor de compromissos. Honro os compromissos assumidos”, justificou o ministro. Além de Marco Aurélio, votaram para suspender o julgamento os ministros Luiz Fux, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Rosa Weber, Celso de Mello e Gilmar Mendes.

Notícias relacionadas

[Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro]
Política

Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 10:05 em Política

Em conversa com apoiadores, presidente ainda responsabilizou governo do Amazonas e prefeitura de Manaus pelo caos na saúde da capital: "Todo mundo me culpa. Tudo sou eu"