Política

ʹIntervenção de marqueteirosʹ, diz Freixo sobre ato do governo no RJ

A intervenção federal no Rio de Janeiro também foi comentada pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ) em entrevista a Mário Kertész, na manhã de hoje. Para ele, a ideia da intervenção partiu de marqueteiros do presidente Michel Temer. [Leia mais...]

[ʹIntervenção de marqueteirosʹ, diz Freixo sobre ato do governo no RJ]
Foto : Divulgação/ Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro

Por Matheus Morais e Gabriel Nascimento no dia 27 de Março de 2018 ⋅ 08:06

A intervenção federal no Rio de Janeiro também foi comentada pelo deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ) em entrevista a Mário Kertész, na manhã de hoje, na Rádio Metrópole. Para ele, a ideia partiu de marqueteiros do presidente Michel Temer.

"O Carnaval do Rio de Janeiro foi muito politizado. Os blocos de ruas que se multiplicam foram muito politizados. O que aconteceu de diferente é que as escolas de sambas levaram também temas da política. Beija-Flor, Tuiuti e Mangueira, que foram escolas com destaque, os sambas-enredos eram muito politizados. Houve uma reação muito positiva das escolas. Ali, acho que a equipe de Temer ficou desesperada. Na quarta de cinzas, o marqueteiro do governo Temer dá uma resposta e planeja a intervenção. Uma intervenção de um marqueteiro. Na sexta depois do carnaval, anunciam a intervenção e pegam os militares de surpresa", ressaltou.

Freixo disse ainda que não tem a menor ideia do que vai acontecer no Rio de Janeiro futuramente. "Nem eu, nem os militares. Tenho conversado com vários setores da sociedade civil. Quem assistiu à coletiva de imprensa que fizeram, viu que estão trocando a roda do carro com o carro andando. Há uma entrevista do marqueteiro ao jornal O Globo que ele fala que foi uma jogada de mestre. Como se a segurança pública pudesse ser resolvida em um passe de marketing ou de mágica", completou.

Notícias relacionadas

[Doria diz que Bolsonaro precisa trabalhar mais e tuitar menos]
Política

Doria diz que Bolsonaro precisa trabalhar mais e tuitar menos

Por Juliana Rodrigues no dia 20 de Setembro de 2019 ⋅ 10:40 em Política

Nova provocação entre os potenciais adversários nas eleições presidenciais de 2022 acontece em meio ao anúncio de investimentos da montadora Toyota em São Paulo