Política

Manutenção de prisão em segunda instância não mudará votos de ministros, diz coluna

Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, os ministros entendem que a prisão está hoje apenas autorizada depois da condenação em segunda instância — ou seja, não é obrigatória e deve ser fundamentada pelos juízes. [Leia mais...]

[Manutenção de prisão em segunda instância não mudará votos de ministros, diz coluna]
Foto : Divulgação/STF

Por Clara Rellstab no dia 11 de Abril de 2018 ⋅ 13:00

A eventual manutenção, pelo STF (Supremo Tribunal Federal), da regra que prevê a prisão após condenação em segunda instância não deve mudar a posição de magistrados que resistem a ela e têm votado de forma diversa.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, os ministros entendem que a prisão está hoje apenas autorizada depois da condenação em segunda instância — ou seja, não é obrigatória e deve ser fundamentada pelos juízes.

A mudança para permitir a prisão só depois do trânsito em julgado era considerada certa já que cinco ministros são claramente favoráveis a ela – o voto da ministra Rosa Weber, antes alinhada com eles, passou a ser considerado incerto.

Notícias relacionadas