Segunda-feira, 20 de setembro de 2021

Política

Defesa espera que STF não rescinda acordo de delação de Joesley

O advogado assevera ainda que, caso a rescisão seja homologada, o empresário continuará a depor. "Ocorre que ele é essencial, porque sabe dar o detalhamento de como foi feito cada procedimento, se foram usadas notas frias, se foram usadas empresas de fachada, para quem foram entregues os valores. Por isso que a gente diz que desprezar o acordo, mesmo ficando com as provas, talvez não seja uma ideia inteligente". [Leia mais...]

Defesa espera que STF não rescinda acordo de delação de Joesley

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Por: Alexandre Galvão no dia 26 de abril de 2018 às 06:23

A defesa do empresário Joesley Batista espera que o Supremo Tribunal Federal mantenha válido o acordo de delação premiada firmado com a Procuradoria-Geral da República.

Para a PGR, o dono da JBS omitiu de má-fé dois fatos: propina ao senador Ciro Nogueira (PP-PI) e o envolvimento do ex-procurador Marcello Miller — que saiu do Ministério Público para advogar para a companhia.

Sucessora de Janot, Raquel Dodge manteve a rescisão em dezembro. Em março, Callegari conseguiu soltar Joesley, o que considerou uma grande vitória. Agora que a delação gerou a primeira ação penal, no caso do senador Aécio Neves (PSDB-MG), Callegari quer voltar à mesa, segundo a Folha.

O advogado assevera ainda que, caso a rescisão seja homologada, o empresário continuará a depor: "Ocorre que ele é essencial, porque sabe dar o detalhamento de como foi feito cada procedimento, se foram usadas notas frias, se foram usadas empresas de fachada, para quem foram entregues os valores. Por isso que a gente diz que desprezar o acordo, mesmo ficando com as provas, talvez não seja uma ideia inteligente".

Defesa espera que STF não rescinda acordo de delação de Joesley - Metro 1